terça-feira, 8 de abril de 2014



Merenda estragada »Alunos da Etepam fazem protesto contra refeições oferecidas pela instituição

Publicação: 08/04/2014 08:56 Atualização: 08/04/2014 15:51

Alunos encontraram uma larva no arroz servido na escola. Ruan Gabriel/Divulgação
Alunos encontraram uma larva no arroz servido na escola. Ruan Gabriel/Divulgação
Alunos da Escola Técnica Professor Agamenon Magalhães (Etepam) fazem protesto nesta manhã de terça-feira para denunciar o descaso com a comida que vem sendo servida pela instituição educacional. Segundo estudantes, refeições como arroz e até o suco têm vindo sempre com larvas. Com faixas cartazes, alunos chamam a atenção de quem passa em frente ao prédio da escola, na Avenida João de Barros, no bairro da Encruzilhada.

Os estudantes dizem que já denunciaram à Secretaria de Educação, mas até agora, nenhuma providência foi tomada. Além da presença de larvas, os alunos reclamam do cardápio, que segundo eles, é considerado de baixa qualidade e pouco variado. Segundo eles, nas últimas semanas, vários alunos já adoeceram com dor de barriga. A comida oferecida aos estudantes é terceirizada. 

quinta-feira, 27 de março de 2014

APRENDER COM OS GARIS

 SINTEPE e governo  ''negociam'' a  pauta de reivindicações dos professores  a bastante tempo. E, as 'promessas' do governo discutidas  nessa última rodada de negociação (24/03),  além de não representar garantia alguma, não sinalizam avanços para a categoria. Vergonhosamente o governo propõe um acréscimo de R$ 0,72 centavos para dezembro no vale refeição que, atualmente custa R$ 7,00, pago em apenas um dos vínculos, e negado para os professores em contrato temporário.
Para reajustar o Piso dos professores com licenciatura ( diferença entre o Magistério e Licenciatura) o governo aponta 4%  para outubro e mais 3% para dezembro. Técnicos educacionais  terão reajuste de 10% a partir de junho. Assistentes administrativos e auxiliares, 7% também a partir e junho. E, como se todo esse desrespeito ainda fosse pouco, o governo  propões não realizar os descontos dos dias da paralisação recente, caso a categoria acate todas as propostas.
Lembrando que, os valores nominais relativos ao difícil acesso, congelados desde 2010 permanecem sem   reajuste. Professores  aprovados no último concurso continuam sem convocação, escolas estão sendo fechadas, outras, jogadas para as mãos dos prefeitos, num  absurdo processo de municipalização que vai na contra-mão das recomendações da  LDB.  Licenças de todos os tipos, pedidos de aposentadorias e outros, estão sendo negados para os trabalhadores.
Enquanto isso,  Eduardo Campos, faltando 9 dias pra deixar o governo nomeia 17 coronéis, e ainda, em caráter emergencial envia projeto pra ALEPE e consegue autorização  dos  deputados  para derrubar 25,35 hectares de vegetação de  mangue  às margens do rio Beberibe.
Os trabalhadores em educação podem esperar!
Cada vez mais me convenço que, precisamos aprender e muito com os garis.




terça-feira, 25 de março de 2014

Nós não somos massa de manobra não: Queremos valorização de verdade

Amanhã será anunciado pelo SINTEPE o resultado das "negociações" com o governo em assembleia que irá ocorrer as 9h no Teatro Boa Vista.

Não vou entrar em detalhes, mas de antemão digo: Me impressiona ver o quão cara de pau muitos governantes podem ser. 

Por que só agora interessa para o governador nos "dar" um aumento no papel? Sim por que este deseja fazê-lo em suaves prestações a se findar em dezembro. Passa meses estudando a pauta e em cima da hora de entregar o "cargo" de governador, joga com fins de deixar de ser o pior governo no que se refere á pagamentos de salários aos educadores....

Sim, porque pega mal querer governar o país com uma propaganda negativa como esta: desvalorizador da educação.... Quem iria querer votar num candidato desse?

Os assessores do dito cujo, então arrumaram uma saída de mestre: dar um aumento no papel, dividido em suaves prestações.... Eita povo bom de discurso! Agora com tudo assinado quero ver quem diz que ele paga o pior salário do Brasil... "Pagava agora não paga mais"
Acaso somos massa de manobra? somos bestas?
Se interessa tanto ao governador se livrar deste título tão incômodo por que não acochá-lo? Aqui e agora. ou vai paga logo e deixa de enrolação, ou aguenta o "tranco" que nenhum publicitário, nem o Duda Mendonça conseguirá adoçar.....

Estamos em uma ótima época: ano eleitoral, governador querendo melhorar a imagem e o discurso...Temos a massa e o queijo, podemos sair desta por cima ou como gados de manobra...

Diga não ao oportunismo, não merecemos esmolas, queremos um salário digno. O que vai ser apresentado amanhã é mais do interesse do governo do que do nosso... Podemos ter mais, devemos lutar por mais....

Quero ver ele entregar o cargo agora em abril com este lindo título a tiracolo... O de pior governador do Brasil no que se refere à salário de professor... Num instante muda este lenga lenga e abre a pauta bem mais flexível e pagando agorinha mesmo....
Até a assembleia companheiros..........
  

sexta-feira, 14 de março de 2014

PANFLETO DA OPOSIÇÃO (13 de março de 2014)

PERNAMBUCO CONTINUA SEM PAGAR O PISO
A Lei do Piso (11.738|2008) está em vigor há 6 anos mas nunca foi respeitada! O MEC foi o primeiro a desrespeitar a lei não reajustando seu valor em 2009 e utilizando a AGU (Advocacia Geral da União) para rebaixar o seu valor estabelecendo um PISO PIRATA que não obedece aos critérios da Lei. Utiliza-se também de artifícios para manter nossos salários rebaixados como a definição de portarias de projeção do custo-aluno inferiores ao valor consolidado, tudo para diminuir os índices de reajuste. Em nosso Estado, professores em início de carreira (150horas aula) passarão a receber R$ 1.342,00, bem distante do PISO PIRATA de R$1789,00. Segundo a CNTE o piso deveria ser de R$2.800,00. Mas o que está ruim ainda pode piorar, pois os governadores do país querem rebaixar ainda mais, derrubando o índice do custo-aluno e estabelecendo o reajuste pelo INPC. Precisamos fortalecer a PARALISAÇÃO NACIONAL de 17 a 19 de março e exigir que a CNTE lute para manter o reajuste pelo custo-aluno e, não aceite a chantagem de governadores medíocres que não querem a melhoria da educação pública.

MUNICIPALIZAÇÃO: UM PROCESSO IRRESPONSÁVEL
Os municípios sofrem com a redução dos repasses financeiros por conta da renúncia fiscal que beneficia empresas privadas e precariza os serviços públicos. Em 2014 haverá uma perda de R$ 245,6 milhões como revela a (LDO) Lei de Diretrizes Orçamentárias. Nos discursos demagógicos dos governos a Educação vai muito bem, mas na vida real só tende a piorar como foi visto no fantástico que noticiou o caos de escolas municipais em Pernambuco. Escolas precárias, sem água tratada nem material de limpeza, localizadas em ruas esburacadas e que alagam em períodos chuvosos, foram mostradas em Jaboatão dos Guararapes. Em Lagoa Grande, alunos pegam caronas em caminhões ou charretes para garantir o direito de estudar. Em Ipojuca, a Secretária de Educação Margareth Zaponni reconhece que 80% dos alunos da rede municipal não sabem ler nem escrever corretamente. Apesar disso, o governo insiste em jogar as escolas de Ensino Fundamental para as prefeituras. A municipalização ocorre em nosso estado sem discussão com a comunidade escolar. O governo fecha turmas e escolas, além de transferir alunos e professores para locais distantes de suas residências, trazendo enorme transtorno para os trabalhadores. O governo Eduardo Campos contraria a LDB e desmantela a educação estadual.

SERVIDORES OBRIGADOS A PAGAR MAIS AO SASSEPE
Antes da existência do SASSEPE havia o IPSEP para o qual os servidores contribuíam com 8% e tinham direito à Assistência Médica e previdenciária com aposentadorias e pensões. Ao instituir o FUNAFIN e o plano de saúde, o governo retira mais do salário dos servidores. Com o reajuste das alíquotas do SASSEPE o desconto nos contracheques pode chegar a 21%! As alíquotas passam a ser de 4,5 a 5,2%, de acordo com a faixa etária. Quem tiver dependente terá de pagar a mais de 1,15% a 2,9%. Juntando com o desconto de 13,5% do FUNAFIN lá se vai boa parte do salário. Infelizmente, dirigentes da CUT que gerenciam o plano junto com o governo saíram satisfeitos da “negociação” afirmando que o governo queria ainda mais! Esquecem que a dívida de R$40 milhões sempre foi mantida pelo governo como forma de chantagem contra os servidores para forçar o aumento das alíquotas. O SASSEPE se torna um plano igual aos outros com restrição a consultas e procedimentos e não tardará a cobrar taxas extras. Sempre defendemos que o Estado deve se responsabilizar pela assistência à saúde deixando de destinar recursos para o setor privado e para o pagamento da dívida externa, vejamos que o SENADO paga plano de saúde até mesmo para políticos cassados, bem diferente dos outros servidores.

ESCOLA INTEGRAL DE MENTIRA
Uma coisa é passear numa bolha com água tratada e de qualidade, a outra, é cair nas águas podres do pobre rio Capibaribe. Pois bem, uma coisa é assistir as propagandas governamentais, a outra é conhecer o interior das escolas da rede. Mesmo as Escolas ditas de “Referências” estão aí pra desmentir e mostrar as fantasias criadas pelo governo Eduardo Campos.
Merenda de qualidade duvidosa, falta de equipamentos nos laboratórios de ciências e de informática, espaços inadequados para as práticas de educação física, precariedade ou inexistência de desenvolvimento de projetos, salas quentes são apenas algumas das queixas citadas pelos alunos dessas escolas, inclusive documentadas por meio de fotos e vídeos. Não podemos defender um modelo de escola que segrega direitos dos trabalhadores, obrigando-os a um regime de dedicação exclusiva pagando por seu trabalho excessivo uma pífia gratificação. Para o governo uma escola passa a ser integral ao ampliar a jornada de trabalho e estudo numa fórmula que traz mais prejuízos que melhorias do ensino. Isto resulta no cansaço dos educadores que, desestimulados pelo ritmo de trabalho excessivo acabam adoecendo, comprometendo a qualidade do ensino.

PELO DIREITO A PAGAR AS AULAS ATIVIDADE EM CASA

As aulas atividade foram instituídas por uma conquista da nossa categoria que obrigou o governo a reconhecer que nosso trabalho em sala de aula exige uma preparação. Trabalhamos em casa e desenvolvemos atividades como preparação e correção de provas. Também foi o reconhecimento de que nossa carga de trabalho é muito pesada e extensa. Necessitamos de condições adequadas para realizar um trabalho de melhor qualidade, coisa que o estado não oferece. O governo nos pressiona através dos gestores para ficarmos mais tempo dentro da escola exigindo o cumprimento das tais aulas atividade chegando ao cúmulo de querer determinar o dia em que estaríamos na escola e não aceitar as janelas como aula atividade. Esta atitude não contribui para a melhoria da educação e ainda nos torna mais estressados. Vale lembrar que lutamos para garantir que 50% da carga horária seja para as aulas atividade. No mundo de hoje em que até mesmo cursos podem ser realizados à distância e reconhecidos pelo governo. Por que não reconhecer o trabalho que realizamos em casa?

CANDIDATO DE EDUARDO SEMPRE NEGOU MELHORIAS PARA OS SERVIDORES

Nos últimos anos travamos importantes lutas em defesa de nossos direitos e por melhorias para a Educação Pública estadual. Em todos os momentos o governador Eduardo Campos valeu-se do secretário da fazenda para negar nossas reivindicações e ainda mais para cortar os qüinqüênios, desmantelar o PCC, descontar salários durante a greve de 2009, roubar nosso pó de giz. Agora ele quer ser o novo fantoche de Dudu. Precisamos dar uma resposta e construir uma alternativa que unifique aqueles que sempre estiveram na luta em defesa de um projeto independente e da classe trabalhadora. Vamos fazer valer as lutas de junho do ano passado e construir um projeto que aponte para a ruptura com o modelo excludente e discriminatório que vem senso aplicado por aqueles que hoje estão no poder.

•ABAIXO A MUNICIPALIZAÇÃO/ NÃO FECHEM TURMAS E ESCOLAS DA REDE
•19% A PARTIR DE JANEIRO E CORREÇÃO DO PISO PELO CUSTO ALUNO
•ABAIXO O MODELO EXCLUDENTE E DISCRIMINATÓRIO DAS ESCOLAS DE “REFERÊNCIA”
•CONTRA A TRANSFERÊNCIA DE PROFESSORES POR CONTA DO FECHAMENTO DE TURMAS

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

''NEGOCIAÇÃO''


NEGOCIAÇÃO COM O SECRETÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO DO GOVERNO DO ESTADO
DATA: 25 de março 2014.
Hora: 15h.
Local: na Secretária de Administração do Estado.

Pauta: Negociação da pauta de reivindicações referente ao Professor.
Resultados:

 O Governo não apresentou proposta, alegando que a nossa pauta foi entregue dois dias após o envio do ofício do Secretário de Administração, então, ele disse que precisa de tempo para fazer os cálculos a partir dos itens que apresentamos.

2.   O reajuste de 8,32% sobre o mês de janeiro e fevereiro será pago em uma folha extra no dia 17 de março 2014.

3.   Ficou marcada a próxima reunião de negociação para o dia 11 de março, às 15h.

Recife, 25 de fevereiro de 2014.

Heleno Araújo Filho


sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

SASSEPE- MARCAÇÃO DE CONSULTAS

NOVO  modelo de marcação de consultas
do SASSEPE pelo 0800 281 7373

Horário    Especialidades
7h às 9h     Clínica geral, cardiologia e gastroenterologia
9h às 11h     Odontologia, pneumologia, ortopedia, reumatologia e pediatria
11h às 14h     Urologia, ginecologia, obstetrícia, oftalmologia e otorrinolaringologia
14h às 17h    Endocrinologia, angiologia, cirurgia geral, cirurgia plástica, mastologia, neurologia e dermatologia
7h às 19h    Demais especialidades

Fonte: IRH

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Sandra Fernandes e Icauã


Ensaio
18 fevereiro de 2014
Por Movimento Síntese Socialista

Centenas de pessoas compareceram ao velório de Sandra Fernandes (48) e de seu filho Icauã Rodrigues (10) ontem à tarde, segunda-feira, 17/02/2014, em Paulista-PE. Os dois foram cruelmente assassinados por Marcos Aurélio da Silva (23), que alegou "ciúme" como motivo do crime. Marcos Aurélio parecia não apenas querer calar ou submeter Sandra. Parecia querer descarregar nela todos os seus preconceitos, frustrações, covardias e ódios machistas, através de socos e golpes de faca. Icauã, pequeno e lindo garoto, teve a dignidade de lutar pela vida da mãe e acabou morrendo em combate. Marcos Aurélio tentou desfigurar os dois. Trata-se de um ser humano para quem a vida das mulheres (e das crianças) tem valor insignificante. Parecia entender que Sandra mereceu o destino que teve. Sem arrependimento, sem abalo emocional. Voltou para casa, descansou e esperou ser capturado. Para Marcos Aurélio exigimos que nenhuma benevolência legal lhe seja concedida. Não podemos estar senão abalados, transtornados, indignados e tomados de ira por mais essa bárbara expressão de machismo e de violência cometidos contra Sandra e, em certo sentido, contra todas as mulheres. Nenhuma violência contra uma mulher é uma violência apenas singular. Não está sendo fácil escrever esta nota.
Muitos de nós conhecíamos Sandra e Icauã. Em quantas reuniões estivemos juntos com ela, enquanto Icauã ficava pacientemente brincando do lado de fora da sala com algum outro filho ou filha de militante, ou mesmo jogando em um computador? Sandra militou muito tempo pela causa do fim da violência contra as mulheres: no SIMPERE, sindicato no qual era diretora; em sala de aula como professora; no PSTU, partido do qual fazia parte; na vida amorosa ou privada. Neste momento, a perda de Sandra não é uma perda apenas de seus familiares, dos militantes do PSTU ou dos professores do SIMPERE. É uma perda de todos nós, homens e mulheres militantes da causa da emancipação das mulheres e dos trabalhadores. Nesse sentido, Sandra era uma militante de todos os diferentes movimentos e organizações feministas e socialistas. Inclusive do Síntese. É um alerta grandioso o fato de que logo ela, ativista das causas feministas, tenha sido vítima de um crime tão estúpido e machista como esse.
Vivemos um verdadeiro extermínio das mulheres no Brasil. Não apenas no Brasil. Mas por aqui, pelo menos desde a década de 1990, o rebaixamento da condição das mulheres vem sendo constantemente incrementado. Tratada como mercadoria pelas grandes empresas monopólicas, como ser humano inferior por crenças religiosas medievais, como trabalhadora superexplorada no mercado de trabalho externo ou doméstico, como objeto em muitas relações amorosas, com desprezo ou indiferença pelos órgãos governamentais que foram criados para protegê-las, a situação das mulheres, especialmente aquelas que são obrigadas viver de seu próprio trabalho, lembra o cerco a uma população em ataque permanente. O mais trágico é que os agressores são, na grande maioria dos casos, membros da mesma parcela da população que elas. Trabalhadores exterminando trabalhadores. Oprimidos exterminando oprimidos. Certamente o machismo não pode ser reduzido a um problema vinculado ao capitalismo. Tem sua lógica e funcionamento para além dele. Mas certamente tem a ver com o desenvolvimento e vigência destruidora da propriedade privada em suas diferentes manifestações históricas. Qualquer militante hoje em dia que não entenda que não é possível emancipar a humanidade sem a emancipação das mulheres, ou é ingênuo, ou foi dogmaticamente doutrinado, ou é um farsante. O índice de libertação e autonomia das mulheres é um dos principais indicadores da proximidade de uma sociedade igualitária. Quanto mais as mulheres se colocam à frente das lutas e das resoluções dos problemas do cotidiano que dizem respeito a elas e a todos, mais sabemos que nosso movimento emancipador está forte. A atual realidade das mulheres apenas atesta nossa fraqueza.
Nesse sentido, a Lei Maria da Penha, enquanto lei e com todos os limites que qualquer lei possui, foi um avanço. Mas esse avanço legal não se transfere para a esfera real e cotidiana da vida das mulheres. A violência contra elas voltou a crescer mesmo depois da lei. Ter uma presidente mulher, ou uma governadora, ou uma prefeita etc. não significa necessariamente que as mulheres em geral, especialmente as que se encontram mais abaixo da pirâmide social, estão sofrendo menos agressões e violências.
Mas há também outro indicador, além do relacionado à autonomia e liberdade das mulheres, que segue na mesma direção. É aquele que diz respeito à forma como são educadas e tratadas nossas crianças. Nossos pequenos espelham tanto as relações sociais atuais quanto o que deixamos como legado para o futuro. Infelizmente, a violência, os maus-tratos, a humilhação e a tortura contra nossas crianças e adolescentes são também práticas corriqueiras. Em uma sociedade desigual e violenta como a nossa, as crianças são também as primeiras vítimas. E ainda existem aqueles que querem imputar a elas, crianças e adolescentes, a culpa por muitos dos problemas gerados pelos adultos. Uma dessas formas é com a ofensiva conservadora que propõe a diminuição da maioridade penal, como se o extermínio dos jovens e crianças das periferias, em especial dos negros, fosse ainda insuficiente.
Sandra não era uma das principais dirigentes do sindicato ou do partido, nem tampouco uma grande intelectual. Era uma militante simples como a maioria de nós. Mas ela tinha algumas virtudes que dificilmente são conciliáveis na militância política dos dias de hoje e que dificilmente vemos nos principais dirigentes ou mesmo em grandes intelectuais. Sandra conciliava a capacidade de "tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo" (Che Guevara) com a alegria de viver. Sandra era uma pessoa generosa e que buscava da vida o encontro com os outros, a companhia, a alegria. Nesse sentido, sua lembrança nos ensina muito mais do que dezenas de livros e/ou cartilhas. De Icauã, lembraremos sua serena paciência e simpatia quando presente entre os adultos que falavam muitas vezes de coisas nada interessantes para crianças como ele. Do lindo homem que estava se tornando.
Sandra e Icauã estarão presentes em nossa luta. Não esqueceremos de suas características pessoais, de seus jeitos, de suas idiossincrasias. Mas também não esqueceremos que eles fazem parte da triste realidade do extermínio das mulheres e da agressão sistemática contra as crianças. Continuar a luta permanente contra ambas as formas de violência, modificando-nos e autocombatendo todos os preconceitos que também existem em nós, é uma forma de honrar os dois e todos os demais que sofrem, muitas vezes em silêncio.


PS: no momento de finalização deste texto ficamos sabendo de mais um torpe crime contra as mulheres. A vítima, Adenice da Silva (29), foi morta ontem de modo brutal, com tijoladas, por Jefferson de Souza (23) em Caruaru-PE. Também a ela rendemos nossa homenagem.

http://www.blogsintese.com.br/2014/02/sandra-e-icaua.html

domingo, 9 de fevereiro de 2014

SOBRE AULA-ATIVIDADE

NÃO temos obrigação alguma de reservar dia livre pra aula atividade, o professor é que programa e diz como irá pagar. Tem mais, aula atividade inclui festas, reuniões, encontros pedagógicos, ou seja, tudo que já fazemos na escola e muitas vezes fora de nosso horário. E isso é feito no espaço da escola.

ESTATUTO DO MAGISTÉRIO
Art. 16 - Compõem a carga horária de professor regente:
I - horas-aula em regência de classe;
II - horas-aula atividade;
§ 1º - As horas-aula atividade corresponderão a 20% (vinte por cento) da carga horária total do professor, para docentes que desenvolvam suas atividades em classes da pré-escola e de 1ª a 4ª série do Ensino Fundamental.
§ 2º - As horas-aula atividade corresponderão a 30% (trinta por cento) da carga horária total do professor, para docentes que desenvolvam suas atividades em classes de 5ª a 8ª séries do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.
§ 3º - A hora-aula em regência de classe e a atividade de ensino-aprendizagem desempenhada em sala de aula na escola ou em espaço pedagógico correlato.
§ 4º - A hora-aula atividade compreende as ações de preparação, acompanhamento e avaliação de prática pedagógica e inclui:
a) elaboração de planos de atividades curriculares, provas e correção de trabalhos escolares;
b) participação em eventos, reflexão da prática pedagógica, estudos, debates, avaliações, pesquisas e trocas de experiências;
c) aprofundamento da formação docente;
d) participação em reuniões de pais e mestres e da comunidade escolar;
e) atendimento pedagógica a alunos e pais.
Art. 17 - O professor regente planejará anualmente a utilização de suas horas-aula atividade, devendo desenvolve-las na escola.
Curtir ·  · Promover · 

O CANTO DA SEREIA

Por  Antônio Henrique*
Estamos acompanhando pela televisão uma série de propagandas faraônicas das ações do governador Eduardo Campos, para o campo da educação. Chega até lembrar filmes de ficção científica, tamanho seus efeitos visuais. Depois do que eu vi na TV, ficou muito claro para onde estão indo os investimentos que deveriam ser destinados à educação. Em Pernambuco, o Gov. Eduardo Campos nega-se a pagar o valor irrisório que é o piso da categoria. Vem levando em banho-maria a comissão de negociação (composta pelo sindicato que na sua grande maioria é governista), quando na verdade deveria respeitar a lei e reajustar os salários desde janeiro de 2013. Porém, o governador Eduardo Campos, retirou a gratificação do Magistério, o quinquênio, destruiu o Plano de cargos e carreiras o PCC da categoria e ainda deve os dias parados da greve de 2009. 
Em 2013, estão correndo várias manifestações dos estudantes e comunidade escolar denunciando as precárias condições das Escolas de Referência, a exemplo da EREM Dom Bosco e o Ginásio Pernambucano. Por outro lado, a política do governo de criar escolas de referências, tem por objetivo diminuir as turmas de ensino fundamental, fazendo com que os alunos, sem opção de escolha, abandonem as escolas. Outra denuncia que veio à tona recentemente na comissão nacional de trabalhadores em educação (CNTE), descobriu que o MEC deixou de contabilizar R$ 4 bilhões do FUNDEB em 2012. Isso significa que o reajuste do Piso Salarial deveria ser de 12% pelos próprios cálculos do governo e não de 7,97% definidos arbitrariamente pelo MEC. É importante observar que o reajuste do professor deve ser feito pela variação custo-aluno que ficou em 20,16%. O governo de Pernambuco é um dos muitos governos a realizar varias manobras para não pagar o salário da categoria. No dia 08/04/2013, no Teatro Boa Vista em Recife. Foi realizada uma assembleia do sindicato dos trabalhadores em Educação de Pernambuco (SINTEPE). O sindicato com sua maioria governista (PC do B, PT e PSB) se mostrou não muito preocupado com o atual momento que os professores vem passando, e se mostra com uma passividade incrível, limitando-se apenas a uma pequena nota de jornal aos domingos. 
É dever dos sindicatos representar sua categoria. foi assim que aprendi, e isso não novidade, ou agora é? Eduardo Campos o imperador de Pernambuco esta acima da Lei. É o retorno do poder moderador em pleno Século XXI, em Pernambuco. O povo deixa-se encantar com os olhos azuis de brilho “verde($)” do Imperador Eduardo I, que tem todos em suas mãos. E quer mais, quer a Presidência da República. Em seu primeiro governo, quis terceirizar a saúde e por pressão da categoria ele não o fez (ainda), e agora com mais experiência, já calejado, esta conseguindo fazer com a Educação. Hoje conta com instrumentos importantes para conseguir seus objetivos, principalmente um sindicato inoperante para os trabalhadores da categoria, que funciona como um dique de contenção dos anseios e indignação dos professores. O governo Neoliberal de Eduardo Campos no qual ele chama, de novos métodos de governar, é na verdade um desmonte da classe trabalhadora em Pernambuco, sugando o suor dos trabalhadores para financiar suas viagens pelo Brasil, sacramentando assim o seu poder no Estado, ou melhor, no seu feudo.  

*Militante da UJC e do PCB

[Esse é um texto para a seção Crônicas Vermelhas, onde os militantes da UJC/PE opinam, comentam, debatem sobre diversos temas. Para acessar o conteúdo Crônicas Vermelhas basta acessar no "arquivo do blog por temática" a temática Crônicas Vermelhas, ir na página formação ou destaques, ou clicando no marcador dessa postagem.]

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

REUNIÃO DA OPOSIÇÃO

REUNIÃO DA OPOSIÇÃO ALTERNATIVA SINTEPE
SÁBADO DIA 08 de fevereiro de 2014
às 11 horas
SEDE DA CONLUTAS

R. José de Alencar, 44, bloco A, sala 33, Boa Vista - Recife - PE.
CEP 50070-030. Fone: 3222 5709
Edf. do Bar e Restaurante Mustang (lado da Loja Riachuelo)
Pontos em discussão:
Informes, Assembleia Sintepe, propostas de novas mobilizações, municipalização, outros.
Obs: Reunião aberta.

Eduardo Campos tira verba do Chapéu de Palha e dá para a Odebrecht

O texto abaixo foi copiado do JC online NE10, cujo link é:
http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/economia/pernambuco/noticia/2014/02/05/verba-do-chapeu-de-palha-para-odebrecht-116336.php



O Estado tirou R$ 23,8 milhões do orçamento 2014 do Chapéu de Palha, programa social criado por Miguel Arraes para ajudar agricultores na entressafra, e vai usar o dinheiro para bancar parte de uma fatura, estimada em R$ 40,8 milhões este ano, com a Arena Pernambuco Negócios, braço do grupo Odebrecht à frente da Arena da Copa. O pagamento não é pela obra (hoje, por incrível que pareça, um custo desconhecido), mas para bancar o funcionamento do estádio....

Procurado, o governo diz ter pago só R$ 1,752 milhão ao estádio, o que fez o gasto efetivo com as PPPs ficar em R$ 15,7 milhões. Por outro lado, informa que a previsão é pagar este ano R$ 40,8 milhões à arena.


É deste tipo de "socialista" que as grandes empresas "precisam!"



terça-feira, 21 de janeiro de 2014

REUNIÃO DA OPOSIÇÃO (REMARCANDO HORÁRIO)

A OPOSIÇÃO ALTERNATIVA SINTEPE ESTARÁ SE REUNINDO SÁBADO, 25 DE JANEIRO DE 2014 às 11:00' na sede da CONLUTAS.
R. José de Alencar, 44, bloco A, sala 33, Boa Vista - Recife - PE.
CEP 50070-030. Fone: 3222 5709
Edf. do Bar e Restaurante Mustang (lado da Loja Riachuelo)
PAUTA: INFORMES, ASSEMBLEIA SINTEPE, REAJUSTE DO PISO SALARIAL, outros.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

REPROVADOS E EXPULSOS

Duplamente penalizados.  É dessa  forma que são tratados os alunos reprovados no do 6º ano da Escola Oscar Carneiro|Camaragibe. Como a unidade .vai ser transformada em Escola de Ensino Integral, estes,  foram expulsos da escola.  Recentemente na Escola Santa Sofia, assistimos o drama de uma mãe que, aos prantos implorava   à direção por uma vaga. De acordo com a mesma, já havia passado por três escolas (distantes de sua casa) e não havia conseguido local para o filho estudar. A transformação  da Oscar Carneiro em Ensino Integral tem provocado danos irreparáveis à comunidade escolar, como não há outra unidade nas proximidades, os  alunos do Fundamental e do  Ensino Médio regular que necessitam trabalhar e não podem passar o dia inteiro numa escola, são obrigados a deixar a unidade e, se deslocarem para locais distantes de suas casas, o que fere totalmente as recomendações da LDB que em seu artigo 4º parágrafo X e, o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) que em seu artigo 53  garante ao aluno o direito de estudar próximo a sua residência.    Portanto, é com descaso e desrespeito, inclusive às leis que, o governo Eduardo Campos vem tratando a educação no Estado.  Por onde anda mesmo o MPPE?

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Sobre o reajuste do PISO


Por

Em 2007 Eduardo Campos estava em seu primeiro ano de mandato e chegou ao governo após prometer reverter imediatamente a situação na qual Pernambuco figurava como estado no qual era pago o pior salário do Brasil para professores entre todas as redes estaduais. O PT estava no governo e também no Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (o partido participa da direção desde a fundação do sindicato) e uma greve de professores foi deflagrada contra tudo e contra todos, inclusive contra a vontade da própria direção sindical. Foi uma greve tensa, pois a categoria estava sozinha e enfrentando os sindicalistas e o governo ao mesmo tempo. Enfrentava o governo por razões óbvias e a diretoria do SINTEPE era enfrentada diante das seguidas manobras para encerrar a greve sem nenhum avanço e tentando assegurar a boa relação com o governo (membro da direção do sindicato até falava abertamente que existira uma “lua de mel” entre o governo e o SINTEPE).

Foram 54 dias em greve e em seu final o saldo foi lastimável em termos de conquistas. Um aumento de 5% foi o máximo que a categoria recebeu.

Findo o movimento, fui convidado para participar de um debate na Rádio Jornal representando o movimento de oposição ao SINPTEPE e o grupo A Alternativa. Estavam lá o presidente do sindicato e sua assessora de imprensa e uma representante do alto comando da Secretaria de Educação também acompanhada por uma assessora (fui acompanhado por um colega que nem entrou no estúdio). Durante o debate tanto o sindicato quanto o governo se congratulavam e eu me via numa situação esquisita. Na ocasião, o presidente eterno do SINTEPE afirmou que os 5% eram uma conquista e o já reduzido crédito que eu mantinha em relação à direção sindical acabou de vez.

Agora o mesmo governador, que agora não tem apoio do PT, anunciou um aumento salarial para os professores. O reajuste é de 8,32% e é patético, insuficiente e vergonhoso de qualquer forma. É um reajuste amparado numa manobra que burla o real fundamento da correção dos salários conforme orientação federal.

O presidente do sindicato, que já achou uma conquista um aumento menor anteriormente, aparece para bradar que o novo reajuste é um “golpe”. Sim, concordo com ele, é mesmo um golpe – assim como foi um golpe a benevolência do SINTEPE em relação ao governo após a greve de 2007 vendendo como positiva uma situação vergonhosa. E é certamente interessante verificar essa mudança de discurso por parte do presidente vitalício do sindicato.

É um fato inegável que Eduardo Campos realiza uma política educacional baseada em pura ficção propagandística. É propaganda enganosa e nada mais. Por outro lado, outra ficção tem sido o sindicalismo praticado pela entidade representativa dos trabalhadores em educação.

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Educarrasco Campos anuncia a merreca de 8,32% para os professores

Demagogicamente, o carrasco de professores, iludido pelo desejo de ser presidente, anuncia o reajuste do MEC já para janeiro, diferente dos anos anteriores, onde o mesmo só acontecia em julho.

O TEXTO ABAIXO FOI Copiado do BLOG DE JAMILDO
http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2014/01/02/antes_de_sair_eduardo_campos_anuncia_aumento_de_832_porcento_para_os_professores_do_estado_164975.php

Os professores da rede estadual de ensino terão reajuste de 8,32% em 2014, conforme anunciou nesta quinta-feira (2) o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Os docentes com formação em magistério terão aumento de R$ 130,43 no salário, que passará de R$ 1.567,66 para 1.698,09. Já o pagamento dos docentes com licenciatura plena terá adição de R$ 136,95, passando de 1.646,04 para 1.782,99. Com o acréscimo, haverá impacto de R$ 144 milhões nos cofres públicos.
A mudança passa a valer a partir deste mês. Segundo o governador, o aumento obedece às determinações do Ministério da Educação (MEC) e às negociações com o sindicato da categoria.
Questionado sobre a possibilidade de conceder um aumento maior aos docentes, Campos rebateu afirmando que "até hoje só cinco Estados da federação cumpriram a determinação do MEC e Pernambuco foi um deles".
"Vamos cumprir exatamente o que o Ministério determinou, aplicando a fórmula que está na lei. Nós tivemos uma inflação na casa dos 6%, foi um ano muito duro. Poucos Estados da federação vão conseguir dar este aumento de 8% durante o ano de 2014. Algo acima disso é impossível na conta de todos os Estados. Gostaria muito de dar um aumento de 15 ou 20%, mas essa não é a realidade", explicou o governador.
No início do governo socialista, em 2007, a gratificação dos professores era R$ 540,80 (magistério) e R$ 739, 20 (licenciatura plena).

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

EDUCAÇÃO AGREDIDA

A municipalização das escolas da rede estadual anda a todo vapor. Atos de  protestos contra mais esse  desmonte da educação, também.  E, o  mais recente aconteceu em Camaragibe na rua Eliza Cabral área central da cidade. Pais, alunos, professores foram às ruas exigir que o direito dos estudantes em escolher onde estudar seja respeitado. A Secretária de Educação de Pernambuco passando por cima do que determina  a LDB (Lei de Diretrizes e Bases) quer, transferir arbitrariamente todo o Ensino Fundamental para a responsabilidade das prefeituras. Estas,  sequer cumprem corretamente com suas obrigações que, inclui creches e o pré-escolar  mas, de olho nas verbas oriundas do FUNDEB, os prefeitos acordam com o governo e recebem de ‘’mãos beijadas’’ o Ensino Fundamental. Turmas fechadas, alunos mandados para estudar em outras comunidades, muitas delas com problemas sérios relacionados à violência mas, nada disso é levado em consideração. Para o governo Eduardo Campos o  importante é produzir números, é  mostrar para o país que, Pernambuco é o estado com maior quantitativo de Escolas de ‘’Referências”  e Escolas Técnicas.







domingo, 8 de dezembro de 2013

PROTESTO

ATO DE PROTESTO CONTRA A MUNICIPALIZAÇÃO DO ENSINO
DIA 13 DE DEZEMBRO ÀS 9h
RUA ELIZA CABRAL DE SOUZA/CAMARAGIBE (C/PANFLETAGEM E PASSEATA ATÉ A PREFEITURA DO MUNICÍPIO)
PROFESSORES, ALUNOS E DEMAIS COMUNIDADE ESCOLAR, MOBILIZEM-SE, VAMOS PARTICIPAR ATIVAMENTE. PRECISAMOS IMPEDIR O REPASSE DAS ESCOLAS DA REDE PARA AS PREFEITURAS.
O SINTEPE ESTARÁ COLOCANDO CARTAZES E FAZENDO O CHAMADO NAS ESCOLAS DURANTE A SEMANA.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

DENÚNCIA

Por
DENÚNCIA: Sobre o Congresso do Sintepe ocorrido na semana de 25 a 28 de novembro


No Congresso do Sintepe realizado esta semana (25 a 28/11), apresentei a MOÇÃO abaixo, subscrita por uma enorme quantidade de delegados/as, exigindo o cumprimento da Alínea h, do Artigo 27 do Estatuto do Sintepe (http://sintepematasul.blogspot.com/2011/12/estatuto-do-sintepe.html
) o qual obriga a Diretoria do sindicato, hoje, sob a Presidência do Professor Heleno Araújo, divulgar TRI-MESTRALMENTE no Site do Sintepe a Prestação de Contas que é submetida ao Conselho Fiscal, para conhecimento e acompanhamento de toda a categoria.

Como não houve nenhuma posição em contrário a Moção foi absolvida pelo Heleno Araújo restando agora o nosso acompanhamento e cobrança para que seja realmente cumprido o que exige a Moção e o Estatuto do Sintepe.

Na ocasião, eu pedi ao Heleno uma questão de ordem no sentido de que a Moção precisava ser referendada pelo plenário do Congresso, FOI NEGADO O MEU PEDIDO. Em seguida pedi uma questão de esclarecimento para que o Heleno deixasse claro que o conteúdo da Moção seria cumprido, mas, infelizmente, novamente contrariando o Regimento do Congresso, mesmo já tendo me negado arbitrariamente outros pedidos de questão de ordem, Heleno negou DITATORIALMENTE o meu pedido de esclarecimento, mandando junto com Paulinho, cortar o som do microfone para que a minha solicitação não fosse feita de público e eu apelasse, conforme prevê o Regimento do Congresso, para a Plenária. Por isso, muito indignado, rasguei o Regimento do Congresso e joguei os pedaços sobre a mesa do Heleno.

Tudo isso aconteceu sem que a maioria do Plenário entendesse o que realmente estava acontecendo uma vez que fui PROIBIDO por Heleno de exercer o meu direito democrático de usar o microfone para meus pedidos das referidas questões de ordem e esclarecimento, ficando Heleno como o “bonzinho” da situação e eu como aquele que só queria atrapalhar os trabalhos do Congresso, como foi colocado pelo próprio Heleno para o Plenário junto com outras “brincadeiras” depreciando a minha pessoa.

Espero compreensão e solidariedade de todos e todas para que possamos ajudar na construção de um sindicato melhor e mais transparente, com total respeito a democracia e ao nosso Estatuto.

Abraço sindical em todos e todas!

Edvaldo Lima
Coordenador do Sintepe Regional da Mata Sul/Palmares

MOÇÃO PELO PLENO CUMPRIMENTO DO ESTATUTO POR
PARTE DA DIRETORIA DO SINTEPE

No mês de junho do corrente ano, cansados de tantos desmandos governamentais, milhares de brasileiros e brasileiras encheram as ruas de várias cidades do Brasil reivindicando uma nova, incorruptível e transparente prática de gestão por parte daqueles que detém mandato eletivo. 

Em sintonia com os anseios das Marchas de Junho, pela importância do respeito e cumprimento do nosso Estatuto, bem como, por maior transparência no trato do dinheiro da categoria, NÓS, delegados e delegadas do IX Congresso do Sintepe exigimos que a Diretoria do Sintepe cumpra as Alíneas a e h, do Artigo 27 do Estatuto do Sintepe que diz: “Artigo 27 – São atribuições da Diretoria: a) Cumprir e fazer cumprir o presente Estatuto; h) Submeter a prestação de contas trimestralmente ao Conselho Fiscal e garantir a publicação no jornal periódico.”. Assim sendo, exigimos o imediato cumprimento desse dispositivo estatutário e que se publique trimestralmente a prestação de contas no site do Sintepe conforme também prevê o Estatuto.

Cabo de Santo Agostinho, 28 de novembro de 2013.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

REUNIÃO DA OPOSIÇÃO

A OPOSIÇÃO ALTERNATIVA SINTEPE 
REÚNE-SE SÁBADO DIA 23 de novembro de 2013 
às 11:30' h.
SEDE DA CONLUTAS

R. José de Alencar, 44, bloco A, sala 33, Boa Vista - Recife - PE.
CEP 50070-030. Fone: 3222 5709
Edf. do Bar e Restaurante Mustang (lado da Loja Riachuelo)
Pontos em discussão:
Informes,municipalização, Congresso Sintepe, outros.

domingo, 17 de novembro de 2013

EDUCAÇÃO NO ESTADO DE PERNAMBUCO

http://ne10.uol.com.br/canal/interior/agreste/noticia/2013/11/14/video-em-surubim-escola-publica-nao-oferece-condicoes-de-aula-454660.php?fb_action_ids=554395284651200&fb_action_types=og.recommends&fb_source=other_multiline&action_object_map=%7B%22554395284651200%22%3A194986627355935%7D&action_type_map=%7B%22554395284651200%22%3A%22og.recommends%22%7D&action_ref_map=%5B%5D

SEM TRANSPORTE ESCOLAR

Do Blog do Paulo Elias
A Prefeitura Municipal de Araripina vai entrar no quinto mês sem pagar o transporte escolar. É desse jeito que o prefeito Alexandre Arraes (PSB) governa o município.  Enquanto isso, os estudantes ficam na beira das estradas "mendigando" caronas para poder estudar.  A falta de pagamento do transporte escolar está deixando aluno fora da sala de aula.  Foto: Fabíola Tiné
E é para esses municípios sem comprometimento algum com a educação que o governo Eduardo Campos(PSB_PE) está jogando os alunos da rede estadual,  num absurdo e irresponsável processo de municipalização .Albênia Silva.

ESCOLA JOAQUIM AMAZONAS NAS RUAS CONTRA A MUNICIPALIZAÇÃO

Albenia Silva Albenia Silva
/www.facebook.com/photo.php... CAMARAGIBE DIZENDO NÃO À MUNICIPALIZAÇÃO

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

ASSEMBLEIA GERAL SINTEPE


O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco promove no próximo dia 28 de novembro (quinta-feira), uma assembleia geral da categoria. O encontro está marcada para às 15h, em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), na Rua da Aurora, no Recife. Durante a reunião, os trabalhadores em educação vão promover um protesto contra todas as ações do governo do estado, que estão prejudicando a Educação Básica. Além disso, na ocasião, será aprovado o calendário de mobilizações 2013/2014.
Fonte: Sintepe

O CAÇADOR de RAPOSAS

Por  Heitor Scalambrini Costa     Professor da Universidade Federal de Pernambuco
  
No século passado, tivemos um jovem e esportivo candidato a presidente da República que ficou conhecido como “ocaçador de marajás”, e que logo depois de eleito acabou sendo defenestrado do trono presidencial, pois o próprio, junto com seu ex-tesoureiro da campanha eleitoral, estavam enriquecendo (mais ainda) às custas das maracutaias promovidas de dentro do Palácio da Alvorada, com ramificações na Casa da Dinda.
 Agora, passado 20 anos, surge o “caçador de raposas”. Discurso empregado pelo presidenciável e governador de Pernambuco para se referir à necessidade de “aposentar as raposas da política brasileira”. Entenda-se aqui como “raposas” os políticos profissionais, quase eternos, aqueles que, como diz o governador, contribuem para uma política “mofada, cansada e atrasada”. Para os marqueteiros do presidenciável pernambucano, o objetivo é de apresentá-lo como o “novo”, aquele que vem para fazer uma “nova política”. Assim, é preciso construir uma imagem positiva e criar, junto àopinião publica, a figura de um político dinâmico, bom administrador, gestor público competente, diferenciado-o das velhas praticas políticas e dos políticos de carreira desgastados junto à população.
Essa estratégia já deu certo uma vez, e por que não agora, que a desilusão tomou conta dos eleitores que foram as ruas protestar? O partido no poder há 11 anos já não atende aos reclamos  e demandas da população, que exige mudanças. Prometeu “mundos e fundos” e acabou no lugar comum da corrupção, dos acordos políticos inexplicáveis, da velha pratica de “fazer política no país”, simbolizada pela máxima “é dando que se recebe".
Sem duvida quem acompanha a trajetória do jovem governador, mas já idoso nos caminhos sinuosos da política brasileira,conhece muito bem sua obsessão em conquistar e exercer o poder, não levando em consideração os meios para chegar lá.
Em Pernambuco, os exemplos da conduta e da pratica política deste jovem-velho político são inúmeros. O nepotismo reinante no Estado com parentes distribuídos em cargos públicos, que teve seu ápice no envolvimento direto do governadorna eleição da própria mãe a um cargo vitalício no Tribunal de Contas da União. Os acordos “toma lá, dá cá” com os prefeitos e deputados estaduais, o que o tornou praticamente um governante sem oposição. 
Simbolicamente, essa pratica ficou evidente quando patrocinou a mudança na Constituição Estadual, para que um seu aliado político fosse reconduzido à Presidência da Assembleia Legislativa pela quarta vez (talvez seja conduzido novamente a um quinto mandato, como o próprio afirmou só depende do governador querer). Sem falar no chamado “desenvolvimento predatório” que tem patrocinado seu governo.
O que se desvenda dessa obsessão pelo poder do jovem e esperto governador é que ele age muito mais como amigo das raposas, de que como predador. Basta ver seus acordos e alianças espúrias pelo Brasil afora, nada programáticas,formando o bloco dos econeoliberais socialistas, voltados a um único objetivo: ascender ao poder de presidente da República. E ainda diz o que todos querem ouvir, que é necessária mudança profunda do sistema político. Só acredita que não o conhece.
O importante nessa estória toda é não esquecer do passado recente do jovem-velho e ficar atento, pois a caça pode ser você.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

JC NEWS| MUNICIPALIZAÇÃO EM DEBATE

Amanhã (quarta-feira 13 de novembro) o Secretário de Educação, Fernando Melo (Sintepe) e o presidente da Amupe estarão num debate sobre municipalização na JC NEWS (90,3) programa de Aldo Vilela DE 10 às 11h da manhã.
As perguntas podem ser enviadas para 3221-1663. Pena, sem participação alguma de representantes da base dos trabalhadores em educação.

CONCURSO

http://fgvprojetos.fgv.br/concursos/peb/jp

FECHANDO TURMAS

DIÁRIO de PERNAMBUCO- Recife, terça-feira,12 de novembro de 2013
Cartas à redação (cartas@dpnet.com.br)

FECHANDO TURMAS A Ouvidoria da Secretaria de Educação respondendo a manifestação de nº 201362227 diz: "Comunicamos a v.Sª que de acordo com a Gerência Regional de Educação Metropolitana Sul, a Escola Joaquim Amazonas não está em processo de municipalização”. Porém, a orientação de matrícula para 2014 nessa unidade de ensino, ordena o repasse das turmas de Ensino Médio para a Escola Antonio Carneiro Leão ficando, a Escola Joaquim Amazonas funcionará apenas com o Ensino Fundamental que será repassado para as mãos da prefeitura de Camaragibe. Enquanto o Carneiro Leão fica com o governo e será transformado em Escola de "Referência’’.  A municipalização funciona assim, de maneira escamoteada ,sem escutar o povo e nem mesmo o sindicato (SINTEPE) que representa os trabalhadores em Educação. É dessa forma que o governo Eduardo Campos se livra de sua responsabilidade com boa parte dos alunos da rede. Porém, organizada e envolvida com as ações da escola a comunidade foi às ruas em atos de protestos dizer mais uma vez, NÃO À MUNICIPALIZAÇÃO.
Albênia Silva/Camaragibe