quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Democracia em baixa

A democracia nas escolas estaduais de Pernambuco, anda mesmo em baixa. Como se não bastasse as formas de repressão e de controle exercidos sobre os trabalhadores em educação pelo pseudo-socialista Eduardo Campos, os professores da rede perdem o direito de eleger os gestores das unidades em que lecionam. Isto porque, o governador consolidando seu caráter antidemocrático prorroga mandato de diretores por meio de decreto e coloca interventores onde acha conveniente como fez na Escola Mac Dowell em Camaragibe. Ora, uma vez destituída a direção, não seria a comunidade responsável para escolher e legitimar o novo diretor?
Parece-me que lei só existe para punir trabalhador, o desrespeito anda à solta.
Nas escolas, as atividades à serem realizadas passam primeiramente pelo controle da GRE através de muita burocracia documentada em extensos e odiáveis relatórios, perde-se tempo pedagógico e vai para o espaço a tão propagada autonomia escolar. Penso que, esse órgão que exerce papel fiscalizador, deveria visitar as escolas e produzir relatórios periódicos sobre o índice de indisciplina, a saúde, ou melhor, a falta de saúde dos professores, a estrutura física das escolas e tantas outras coisas que, de forma nociva interferem na aprendizagem. Tal relatório deveria ser concluído com atividades práticas, os profissionais da GRE, experimentariam assistir cinco aulas numa sala quente e superlotada.


9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. E o pior é sindicato que nem se quer se pronuncia quanto a essas aberrações. A GRE é a personificação da bagunça, as informações lá são desencontradas.Meu processo da pós já voltou 3 vezes, tudo por que eles não sabem dizer ao certo quais os documentos necessários.Ultimamente, o povo da GRE também tem dado para destratar os professores.
    NOME: GRE FUNÇÃO: tulmutuar a vida dos professores estaduais pernambucanos.

    ResponderExcluir
  3. O Sindicato está do lado do governo. Isso fica evidente o tempo todo, sobretudo na conduçao da reformulação do PCC. Por falar nisso, quero parabenizar Albênia pela carta ao leitor no Diário de Pernambuco que saiu hoje. É perfeita!

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada minha querida. Precisamos utilizar os poucos espaços que a midia 'democraticamente' nos assegura para expressar nossa indignação.
    Abraço forte pra ti.(Albênia)

    ResponderExcluir
  5. Estou aqui para comemorar o aniversário do requerimento de pós-graduação que fiz na GRÉA GARANHUNS! se fosse pra punir acho que o processo já tinha andado!

    ResponderExcluir
  6. Oi, sou Manoel Fernandes professor estadual no RS, dirigente do CPERS/Sindicato e militante do PSTU. Estou buscando algumas informações sobre o governo estadual daí, pois o Tarso Gerno que se elegeu ao governo daqui, diz que vai se espelhar no Eduardo Campos para administrar. Tem algum e-mail para trocarmos informações, o meu é promanoel16@gmail.com

    ResponderExcluir
  7. Companheiro Manoel, aqui em Pernambuco o governo pseudo-socialista Eduardo Campos (PSB) promoveu uma verdadeira esculhambação educacional. Destruiu o Plano de Cargos e Carreiras do Trabalhadores em Educação, o que resultou em perdas salariais. As escolas ditas de Referências, que excluem professores e alunos e o falido programa Travessia bancado pela Fundaçao Roberto Marinho proliferam-se.Professores são vigiados pelos técnicos contratados pelo governo e tem seus horários expostos na internet. Turmas do fundamental em algumas escolas da rede foram extintas num piscar de olhos, diretores que não apoiam as mazelas do governo são depostos. Não
    há eleição direta, os gestores permanecem no cargo por meio de decreto. As salas de aulas continuam lotadas e calorentas, há escolas funcionando em galpões. O governo não paga o Piso, juntou nossa gratificação de exercício do magistério ao salário base e mente na imprensa dizendo que paga o Piso. Não discute melhorias salariais, mas bonificação as escolas que executam de cabo a rabo as metas estipuladas pela empresa mineira INDG que agora gerencia a educação no Estado. Esses são apenas alguns dos "feitos" na educação realizados pelo senhor Eduardo Campos.
    Um abraço:
    Maria Albênia (malbenia@gmail.com)

    Dê um vasculhada no nosso blog e vai encontar uma série de postagem que tratam das questões citadas.

    ResponderExcluir
  8. Companheiro Manoel, sinto muito por vcs, pois se realmente o governador de RS for se espelhar em Eduardo Campos só Deus tem piedade. Boa sorte e que Deus os livre e guarde. Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Um absurdo perpetuar no cargo gestores comono caso da Escola Prof. Vicente Monteiro em Caruaru. Já houve várias denúncias como no caso das notas fiscais de milho verde e ervilha para a merenda, sem que jamais os alunos tivessem visto isso em seus pratos. O maior absurdo foi o caso da ex-secretária que gravou funcionários desviando galinhas da merenda e foi obrigada a apagar as imagens e ainda foi transferida para uma escola em São Caitano.

    ResponderExcluir