quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Centro Experimental X Escola Galpão

Enquanto os alunos do Ensino Médio (1º ano) da Escola Tito Pereira de Oliveira (Aldeia/Camaragibe) terão tratamento especial, uma vez que, a escola será um Centro Experimental, os alunos do Ensino Fundamental (5ª à 8ª séries) e os alunos de Educação de Jovens e Adultos (E.J.A) desta mesma Unidade Escolar serão jogados para um galpão onde funcionava a fábrica de biscoitos Amidovida e mais recentemente uma igreja evangélica (Batista) .
O espaço que conta com aproximadamente 600 metros quadrados e coberto por telhas Brasilit, abrigará nove turmas (em cada turno), cozinha, sanitários (dois), e secretaria. Não há espaço disponível para recreação, nem muro de proteção, ao abrir a porta da "escola", nos deparamos com a rua. A reforma do espaço ou seja , a divisão das salas será feita em gesso, os "supertécnicos" da Secretaria de Educação visitaram o local fizeram as devidas observações e aguardamos o início das obras.
Quanto ao início das aulas, estão previstas para dia três de março, e a boa novidade é que os alunos de E.J.A terão que estudar mais um ano sem utilizar livros, pois desde o ano passado não houve recebimento dos mesmos.
Quem sabe se não é isso que o "nosso" secretário (Danilo Cabral) chama de Política Educacional de Inclusão ?
Será que poderemos aplicar nessa "escola-galpão" o famoso Programa 5S da empresa privada mineira (contratada pelo Estado) INDG (Instituto de Desenvolvimento Gerencial) composto pelos sensos de Utilização, Ordenação, Limpeza, Saúde e Autodisciplina ?
Será que com essas "excelentes" condições de trabalho somadas às baixas remunerações salariais, os professores sentir-se-ão mais estimulados para o exercício da profissão?
O que dá pra rir, dá pra chorar!

9 comentários:

  1. Profª AURÊNIA,

    Proque ao invês de criticar, a prezada Profª deveria oferecer sugustões...!!
    Seria muito produtivo..!
    Não entendo seu preconceito no que se refere as opções escolhidas pela comunidade que junto com a Direção da Escola Tito Pereira escolheu esse galpão que com suas adaptações atenderá a contento todos os alunos.
    Pense positivo cara colega...!

    ResponderExcluir
  2. Prezado anônimo,meu nome é Albênia,
    quanto ao espaço escolhido para a "nova" escola,o processo foi feito sem consultar a comunidade, inclusive no período em que estavamos de férias.Há outras opções de locais porém, considerados onerosos pelo Estado.
    Certamente você (Anônimo)não é professor, nem aluno, nem está realmente preocupado com a comunidade escolar, pois os alunos tem me procurado e fazem queixas diárias sobre o espaço que será destinado à escola.
    Não sei se você sabe, mas o presidente do Sintepe(Heleno) foi a uma reunião(no Tito) e recebeu diversas denúncias das mães sobre a questão da escola-galpão.
    Além disso, as aulas começarão em março.
    Espero que,quando a escola começar a funcionar, você saia do anonimato, apareça por lá e verifique as nossas condições de trabalho.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Professor defender galpão e afirmar que esta construção atenderá às necessidades dos estudantes é demais! Provavelmente não seria interessante para quem defende isso manter seus próprios filhos estudando num ambiente desses.

    Apesar de tudo, tenho uma percepção favorável em relação aos Centros Experimentais, porém creio que a excelência que o governo diz querer implementar tem que ser universalizada. Os felizardos que estudarão e trabalharão no Centro Experimental (inclusive recebendo gratificação) estarão satisfeitos, mas e os demais que ficarão depositados num galpão? Os professores que lecionarão no galpão merecem receber menos que a elite que trabalhará no Centro Experimental para realizar o mesmo trabalho?

    Precisamos deixar de conformismo e EXIGIR boa qualidade para todo nosso sistema público. Galpão não é escola e isso é algo inaceitável.

    Em vez de se iludir afirmando que o galpão servirá, por que não se mobilizar pela ampliação da escola Tito Pereira? Francamente, creio que o foco de quem está deslumbrado com o Centro está ligeiramente equivocado.

    Se a comunidade necessita e quer o Centro, não pode simplesmente desprezar e excluir os estudantes que não poderão participar dele, jogando todos num galpão (que serve para depositar coisas).

    É uma necessidade que o ensino associe formação escolar e profissional. Se os centros cumprirem este papel, então devem ser instalados. Só não podemos aceitar a forma como isto está ocorrendo, gerando exclusão e beneficiando privilegiados em detrimento da coletividade.

    O governo pode e DEVE beneficiar a toda sociedade, então por que não exigir isso e aceitar de forma oportunista qualquer possibilidade de benefício restrito?

    A instalação dos Enetros Experimentais deveria estar acompanhada de um projeto integrador que aproveitasse e beneficiasse toda a comunidade. Ao atirar crianças em galpões, nada disso ocorre.

    Ao aceitar um procedimento desses, damos margem a qualquer medida excludente e deixamos de pensar no coletivo.

    Que todo o ensino seja de excelência e que todas as ecolas sejam Centros de aprendizagem com eficiência. Se a comunidade da escola Tito Pereira quer isto, então por que não exigir?

    ResponderExcluir
  4. Prezada Colega Albênia,

    Estou aqui de volta para contestar sua colocações com relação a participação da comunidade no processo de escolha do espaço para acomodar os alunos de 5ª a 8ª série e E J A.
    Começo por dizer que a situação é mesmo de "acomodação" dos alunos em em situação emergêncial, haja vistas a implantação do Centro Experimental na Escola Tito Pereira de Oliveira.
    Cabe-me querida Professora ALBÊNIA,
    reconhecer que todo progresso tem suas consequencias, precisamos as vezes pagar algum preço por aquilo que acreditamos "EDUCAÇÃO DE QUALIDADE".
    A nossa luta agora deve ser pela construção de uma Escola com padrões que a comunidade merece e almeja.
    Sabendo do seu valioso empenho por uma educação de qualidade, convoco-a a comparecer aos eventos e reuniões de nossa comunidade, quer seja através do FÓROM SÓCIO AMBIENTAL DE ALDEIA, ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO MUNICIPIO DE CAMARAGIBE, ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DE VERA CRUZ, ROTARY ALDEIA E ETC., entidades estas que se fizerm presente juntamente com a direção e pais de alunos da Escola Tito Pereira de Oliveira, que, mesmo entendendo que o Galpão da Amidovida não é nen de longe o melhor local, infelismente é o único que a comunidade dispõe e em assim sendo foi aprovado por todos que lá se fizeram presentes.

    Profª TINA MONTEIRO
    tinadobrões@yahoo.com.br
    tinamonteiro@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Profª ALBÊNIA,

    Você está ficando muito importante !!! Será que você está querendo ser presidente so SINTEPE ???... O caminho não é este..! Seja meis criativa e não queira se promover usando tais ferramentas.
    O Galpão não foi e nunca foi cabaré..!! Lá funcionou uma industria que empregava gente de nossa comunidade e recementemente a Igreja Batista Missionário, congregação séria e responsavel que só faz o bem.
    Certamente será adquada as necessidades para recedber nossos alunos.

    ResponderExcluir
  6. Por isso estamos onde estamos. Ainda ter quem defenda uma situação caótica dessas:trabalhar em unidades desestruturadas que não atendem de forma digna aos nossos alunos, imaginem trabalhar em um galpão? ministrar aulas para centenas de alunos em local inadequado?Tudo isso por que o atual governo, através da secretaria de (des)educação, não busca se organizar construindo ou reformando locais adequados, sem, prejuízo algum à comunidade. Por que tudo foi feito às pressas? não houve planejamento? que estranho: temos um secretário de educação com formação em administração e o governador com formação, se não me engano, em ciências contábeis. Tamanha desorganização e ainda existe gente que defenda? ainda por cima se entitulando professora?

    ResponderExcluir
  7. Não tenho nada a ver com a situação, apenas sou moradora de Aldeia e ex-aluna da Escola já há alguns anos, mas realmente não dá para ficar calada com tamanha barbárie que estão fazendo em Aldeia, é uma enorme falta de respeito com os alunos e familiares das pessoas que terão que se deslocarem para este "Galpão -escola".
    É uma tremenda vergonha cobrir um santo e descobri o outro, se caso tivesse eu e minha turma ainda estudando na Escola Tito Pereira, talvez seríamos mas uma força para impedir que este fato acontecesse.
    Creio que não vem ao caso se o Galpão foi de uma empresa alimetícia, ou se foi de uma Congregação religiosa, o que vem ao caso é que a estrutura do lugar não corresponde com a necessidade dos alunos que irão "aprender", ou tentarão aprender durante o ano letivo..
    É muito fácil falar que qualquer mudança traz consequências... Mas que ciadadãos somos nós? Se podemos evitar essas conseqências por que deixá-las acontecer?
    Será que as pessoas que estão a frente do projeto tem algum filho matriculado na Escola Tito Pereira?
    O que estou falando até agora é no geral, mas olhando por um outro lado mais específico, vocês já pararam para imaginar quantos jovens que moram depois da antiga Telebrás, num lugar conhecido popularmente como 'Roncaria', irão retornar para suas casas? se não bastasse a distância que eles têm que andar, vocês ainda pretendem aumentar essa dificuladade??? Que absurdo!!!
    É muito bom está defendendo algo que você não vai sofrer na pele, é muito fácil falar quando temos nossos filhos bem estabilizados, formados, trabalhando.. Difícil é encarar a realidade das pessoas que serão JOGADAS no Galpão do desprezo!!!
    Porque não lutam para ampliar a escola, de modo que todos se beneficiem? porque só pensam numa parte da população? e a outra não mereçe respeito e educação digna??
    Procurem ler o estatuto da criança e do adolescente, tá lá escrito, leiam, existe o direito das escolas serem perto da residência dos alunos... e não é só a distância que está em jogo, mas a estrutura do galpão, como já falei anteriormente não é adequado para funcionar como escola...
    Na verdade pessoas querem se promover através de projetos como este, achando que fez as mil maravilhas, enquanto está massagrando jovens e futuros profissionais!!!
    Talvez seja por isso que é tão difícil conseguir nos prosperar profissionalmente. Olho hoje para trás e vejo o quanto tá sendo difícil chegar onde estou chegando e pior que isso é saber que muitas pessoas não conseguirão.
    Todos sabem que depois da família, a escola é a base da educação de um ser humano, e é essa base que querem oferecer aos alunos?...
    Fiquei indignada com o que fizeram com o professor ontem na escola..foi horrível.
    Professor nem te conheço, não sei nem teu nome, mas antes de tudo parabéns pela coragem de enfrentar tudo ontem!!Você é um vitorioso só pela atitude, se todos fossem como você não tinha chegado neste estado de calamindade que chegou.
    Que a verdade apareça, e que os alunos possasm no mínímo ter um lugar apropriado para a prendizagem adequada!!
    Segue assim minhas considerações enquanto cidadã brasileira e residente de Aldeia!!!
    Estou torcendo contra o galpão!!!

    ResponderExcluir
  8. Sou ex aluno da escola tito pereira acho a escola de referência um bom projeto para os (alunos de aldeia)mas não podemos projidicar os outros alunos do ensino fudamental o governo tem que tomar providências e construir uma nova escola que atenda a nessecidade da comunidade.Só com a nossa (união) é que vamos conseguir esse objetivo...

    ResponderExcluir