sexta-feira, 21 de agosto de 2009

REUNIÃO COM O GOVERNO

Os pontos discutidos na reunião (20 de agosto) foram:

Reposição dos dias parados e punições aplicadas aos grevistas;
Recesso escolar em julho;
Reformulação do PCC;
Convocação dos concursados;
Eleições diretas para direções de escolas;
Programa Professor Conectado;
Redução do número da alunos por turmas;
Retorno da educação profissional para a Sec.de Educação;
Pagamento da gratificação de locomoção para os professores dos Centros de Referências, quando em situações de afastamentos.

Para a questão da reposição dos dias parados e as punições aplicadas aos trabalhadores no período da greve, o secretário de Educação reafirmou a posição do governo a qual mantém as punições e os contratados temporariamente para fazerem a reposição das aulas. Postura esta, mais uma vez, rejeitada pela comissão que argumentou a qualidade das aulas, a descontinuidade de projetos e de conteúdos até então encaminhados, questionamentos estes, sem sucesso. Assim, a reposição feita aos atropelos é apenas mais uma forma de castigar os grevistas e também os nossos alunos.
Quanto ao recesso escolar este, será discutido primeiramente em reunião da SEE com a UNDIME (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação) para depois, abrir debate com o Sindicato.
O Programa Professor "Conectado", o Secretário de Educação disse está avaliando propostas de diversas operadoras, no sentido de ver custos, área de abrangência etc., mas, até o momento não há definição alguma no sentido de garantir internet aos professores.
A convocação dos concursados, "possivelmente" acontecerá ainda este ano, sendo chamados primeiramente o pessoal do administrativo. A comissão reivindicou que fosse convocado parte do pessoal administrativo e também parte dos professores. Possivelmente? Sim, possivelmente, pois as decisões que envolvem recursos financeiros, dependem do comportamento da receita para serem atendidas, tanto é que nada foi discutido sobre a reformulação do PCC, uma vez que as possíveis alterações no plano, incidirão sobre o financeiro, assunto este que, só será discutido após o segundo quadrimestre desse ano.
As eleições diretas de acordo com o Secretário de Educação estão garantidas mas, alguns critérios serão estabelecidos pela SEE, que pensa em capacitar os candidatos à gestores, para depois serem os mesmos submetidos ao processo eleitoral. Porém, o tempo das capacitações (80 horas em 10 sábados), os custos, o prazo, uma vez que, o mandato das direções acaba em setembro, são fatores
de incerteza quanto à realização de eleições democráticas que respeitem os anseios da comunidade escolar.
A retomada da educação profissional para o âmbito da secretaria de educação, a redução do número de alunos por sala, reformulação do PCC, e outras questões pendentes, serão discutidas em outras reuniões.
Segunda feira (24/08/09) às 17h agendou-se reunião (comissão e governo) na Secretaria de Educação, na ocasião será apresentado o tão polêmico projeto Cronômetros em Sala de Aula, por sinal repudiado pela categoria que vê no mesmo, uma intenção perserva de controle e de desrespeito à autonomia dos (as) trabalhadores(as) em educação.
Precisamos rechaçar essa nova forma de assédio, que fere o direito do trabalhador(a).

7 comentários:

  1. VIVA o governador de Pernambuco que será reeleito(DEUS NÓS LIVRE)com tanta sabedoria,compromisso e responsabilidade com a EDUCAÇÃO...Parabéns para nós.ALUTA CONTINUA......Janete Costa.Núcleo Caruaru.Isto é que ser Socialista.........

    ResponderExcluir
  2. Essa reunião só mostra ainda mais a postura indiferente do governo do estado com seus professores ou de Eduardo e seus comparsas. Não acredito e nem quero acreditar que professor algum terá coragem de votar em Eduardo em 2010, depois de tudo isso que estamos passando, não quero acreditar!

    ResponderExcluir
  3. sou professor da rede e irei votar em eduardo campos, sabe por que?
    jarbas é muito pior......

    ResponderExcluir
  4. Companheiro, entre dois destruidores da educação, eu ANULO MEU VOTO.
    Como posso votar em alguém que sequer respeita a categoria a qual pertenço? ENVERGONHA-ME.
    FAREI TODA CAMPANHA POSSIVEL PARA DERRUBAR OS DOIS, OU QUALQUER OUTRO... MOSTRO SEMPRE AOS MEUS ALUNOS A FARSA QUE É A POLITICA DE EDUARDO CAMPOS DESENVOLVIDA NO ESTADO.

    ResponderExcluir
  5. Professora Juliana23 de agosto de 2009 21:22

    Professora Albênia está certíssima.Entre Jarbas e Eduardo não existe isso de quem é pior.Um está para o outro e isso é só.Melhor campanha para 2010 em PE será:Ninguém vota em ninguém!Não vou continuar contribuindo com esse caos instaurado no estado...

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Quem posta um comentário de que irá votar em Eduardo, sendo professor do estado só poderia estar anônimo, ou seja, não deve ser levado em consideração! Ambos os governadores (o ex e o atual) estão para si e reciprocamente, a meu ver, o professor que votar em qualquer um deles (Eduardo, Jarbas ou qualquer outro pertencente a este grupo populista) merece ganhar muito menos do que ganha, merece estar em uma sala com no mínimo 45 alunos, merece comprar seu próprio material de trabalho, merece ser perseguido por seu gestor,merece ... pois não se valoriza e ainda se anula perante o movimento, deveria estar exercendo outra profissão, quem sabe jornalista, de um desses jornaizinhos de PE! e ainda se diz professor, que piada!

    ResponderExcluir