quinta-feira, 12 de junho de 2008

Estado tem segunda nota mais baixa da 5ª à 8ª séries

Por Margarida Azevedo
De Cidades, do JC
.
Pernambuco melhorou o desempenho do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no ensino fundamental, enquanto no ensino médio não houve progressão. Divulgados ontem pelo Ministério da Educação (MEC), os novos indicadores se baseiam em dados de 2007 (os anteriores eram de 2005) e se referem às redes de ensino pública e privada.
.
Apesar de haver elevado a nota no ensino fundamental, o Estado não atingiu as médias nacionais e teve a segunda nota mais baixa da 5ª à 8ª séries (2,8), ganhando apenas para Alagoas (2,7). A média mais alta foi de São Paulo e Santa Catarina, 4,3.
.
O destaque positivo em Pernambuco foi para as séries iniciais do fundamental (de 1ª a 4ª): a meta de somar 3,6 pontos em 2009 foi alcançada já em 2007. A nota em 2005 era 3,2. Houve, portanto, um crescimento de quatro décimos (o objetivo era chegar a 3,3 em 2007). O Ideb vai de zero a 10 e é calculado pelo cruzamento dos resultados da Prova Brasil e das taxas de aprovação. A partir desse índice, o MEC definiu quanto de recursos seria destinado a cada Estado, dentro do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE).
.
Ao se avaliar o desempenho dos pernambucanos nas séries finais do ensino fundamental (5a a 8a) observa-se que o aumento foi pouco significativo, de apenas um décimo. Era 2,7 em 2005 e agora é 2,8, exatamente a meta prevista para 2007. Espera-se somar 2,9 em 2009. No ensino médio, o Estado manteve a mesma nota de 2005, 3. Não conseguiu subir um décimo, o que se esperava para 2007. Daqui a dois anos, a estimativa é que chegue a 3,2.
.
Comparando as médias da Região Nordeste, verifica-se que Pernambuco teve a terceira melhor nota nas séries iniciais do ensino fundamental, ficando atrás apenas do Ceará (3,8) e do Maranhão (3,7). No contexto nacional, está na 17ª colocação. No ensino médio, os pernambucanos estão com a terceira melhor nota da região, assim como a Bahia e o Maranhão (3). Acima deles, estão o Ceará (3,4) e a Paraíba (3,2). No Brasil, também ocupa a 17ª posição.
.
Somente na próxima semana o MEC vai divulgar o Ideb por rede de ensino, com notas separadas das redes pública e privada. A promessa é liberar também os índices por município. Em 15 dias, aproximadamente, o ministério deverá soltar as notas por escola. “Só poderemos fazer uma avaliação mais aprofundada quando tivermos o Ideb por rede de ensino. Mas percebemos que houve uma reação positiva em Pernambuco, pois melhoramos as notas do ensino fundamental”, destacou o secretário estadual de Educação, Danilo Cabral. No Ideb de 2005 a rede estadual de ensino ficou em último lugar no País de 5ª a 8ª série.
.
Para Danilo Cabral, o Ideb é importante porque indica se as políticas públicas estão no caminho certo. “Tão importante quanto a avaliação é o que fazemos a partir do que ela indica”, afirma. Dos 185 municípios pernambucanos, 65, segundo o MEC, ficaram no grupo de mil cidades brasileiras com os Idebs mais baixos. As piores notas foram de Cupira, no Agreste, e Águas Belas, no Sertão.
.

Um comentário:

  1. O Rio de Janeiro ta ruim tambem Paulo Alexandre.
    Abraços
    Renato Motta

    ResponderExcluir