quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Período de remoção

A possibilidade de troca da unidade de lotação para os servidores docentes da SEE ainda é uma coisa incerta neste ano letivo de 2011. Estamos a menos de duas semanas do início das atividades letivas e nada foi divulgado junto aos gestores das escolas.

20 comentários:

  1. Pois é hoje mesmo recebi uma ligação do feitor comunicando de que não haveria remoção, muito menos que eu ia consegiur pois ainda faltava 6 meses para acbar meu probatório!! e de que não iria poder diminuir minha carga horária pelo mesmo motivo, então pergunto a vocês o que faço, procurar o sindicato, jurídico da secretaria, .... por que não posso ficar nessa escola muito menos com 200h, passei no mestrado e não tenho condições de assumir toda a carga horária, sem contar que fica muot longe da Universidade! Obs: Não me lembro do Estatuto ter estas restrições quanto a quem esta no estágio probatório. Por favor me liguem quem puder me ajudar. 3226-0346

    ResponderExcluir
  2. Não há porque procurar orientação jurídica. O setor que trata das licenças da SEE é muito atencioso e lhe dará todas as informações necessárias. Digo isso porque também já precisei de licença para o mestrado. Quando existia o anexo da secretaria no edifício Pernambuco, este setor ficava no 7º andar, agora com a mudança para a Várzea, não sei informar. Vá a SEE e eles te encaminham.

    ResponderExcluir
  3. Quanto a informação de que neste ano não haverá remoção, seria bom verificar sobre a legalidade disso, caso esta informação se confirme. Para alguma coisa deve servir aquele jurídico do SINTEPE, dar informação correta. Quem souber sobre algo é favor divulgar.

    ResponderExcluir
  4. Fui hoje na gre sul, lá a informação é de que ainda não está aberto o período de remoção. Fui devolvido pois não havia carga horária para mim na escola, depois que desativaram algumas turmas.Estou até agora sem saber para onde serei encaminhado.A SEE consegue atormentar a vida dos professores mesmo no período das férias!!!

    ResponderExcluir
  5. Quando ingressei na rede, eu havia acabado de passar no mestrado. Na ocasião, entrei naquele concurso de professores celetistas, que acabavam tendo uma carga-horária de sala maior que os estatutários. Optei por ficar com 150h (na prática, tendo o mesmo número de aulas de um estatuário de 200h, mas ganhando bem menos) e, por estar no probatório, não tive redução de carga-horária para cursar as aulas do mestrado. Enfim, foi um sufoco. Quando deixei de ser celetista (ainda no probatório e em função de uma greve, da qual participei ativamente), passei para 200h, ou seja, foi permitida a mudança de minha carga-horária enquanto eu estava no estágio probatório!

    Sobre a dificuldade de remoção, não me espanto. Durante o ano passado, fiquei uns 10 dias sem escola logo no início do ano letivo.

    ResponderExcluir
  6. Não esquente não... ano passado eu fiquei praticamente fevereiro todo sem escola, só arrumaram escola pra mim no começo de março. Isso pq fui devolvido, não havia passado na 'seleção' para escola integral. Ah, sim, não veio um real de desconto no salário até mesmo pq a culpa de não está em sala de aula não foi minha!.

    Quanto a aumento ou diminuição de carga horária isso é possível sim no período probatório, tenho vários amigos que pediram aumento desdo primeiro dia que ingressaram no estado.

    ResponderExcluir
  7. Um absurdo a demora da SEDUC em abrir logo o período de remoção. Qual o motivo para isso? O governo é mesmo e os funcionários, idem. Daqui a alguns dias veremos os conchavos de apadrinhamento removendo seus pupilos descaradamente e nós, pobres desapadrinhados mais uma vez prejudicados em nossos direitos.

    ResponderExcluir
  8. Adriano, solicitar redução da carga horária é um direito seu, a SEE desorganizada como sempre fica retardando o processo porque isto significa aulas 'sobrando' e a escolas também colocam empecílhos alegando não ter professor para assumir um número reduzido de aulas, o que não é problema nosso. Quanto a remoção, não há impedimento algum, desde que haja espaço pra você na escola que deseja, inclusive os prazos também são flexíveis, fui removida de uma escola pra outra no mês de maio(2005), tudo depende da 'vontade política'.Conheço pessoas que foram removidas em período probatório, portanto...

    ResponderExcluir
  9. mudando um pouco de assunto pois nao vi enquete que fale sobre isso! como ficou a reuniao do plano de cargos do ultimo dia 18 de janeiro? o sintepe nao tem nada e aqui tambem nao teve nenhum comentario!

    ResponderExcluir
  10. Ficou no de sempre...a parte conceitual do plano foi concluída, ou seja, a parte que dá "nome aos bois", técnicos, especialistas educacionias, essas coisas que demoram e ajudam ao governo e ao sintepe dizer que estão 'negociando'. Quanto a parte salarial que tanto nos interessa nada foi definido até porque, mexe no financeiro e o governo quer nem saber...vão nos embromando até...

    ResponderExcluir
  11. na folha hoje (grande recife pag 2) o secretario embromou dizendo que vai ser um otimo reajuste na data base! faz ate rir ! kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  12. Gente mudando de assunto tb, se eu quiser aumentar minha carga horária esse aumento tem que ser pedido diretamente pelo diretor da escola que eu trabalho ou posso ir na GRE e solicitar esse acrescimo de carga horária em outra escola? por exemplo, trabalho 150h em uma escola 'X' posso pedir aumento de 50h numa escola 'Y' ? valeu.

    ResponderExcluir
  13. Não precisa pedir à direção, você preenche o formulário e pronto. Caso não tenha vaga em sua escola pode complementar a carga horária em outra. Boa sorte e um abraço.
    Maria Albênia (malbenia@gmail.com)

    ResponderExcluir
  14. Caro Dio (esqueci de dizer rsrsrsr) após preencher o formulário padrão (tem na escola)encaminhe a GRE ou SEE, é preferível a SEE com toda desgraça, pois a Gre é um retardo sem fim. O diretor, basta ser informado e assinar o documento.Abraço!

    ResponderExcluir
  15. Sou professor de espanhol lotado na Escola Augusto Severo com 200h/a. A escola agora é semi-integral. Fiz seleção interna para escola de referência para professor de espanhol duas vezes consecutivas 2009, 2010 e nas duas vezes fui aprovado com as respectivas notas 7,5 em 2009 e 7,8 em 2010 e nunca fui chamado, e a gestora me disse que eu não podia assumir porque deu prioridade ao professor de inglês que tirou nota maior que eu, mas eu disse à gestora que poderia haver duas línguas estrangeiras: inglês e espanhol, pois a Escola de Referência em Ensino Médio Presidente Epitácio Pessoa, na cidade do Cabo de Sto. Agostinho, tem as duas línguas estrangeiras em sua grade curricular. Sabe o que ela me disse? Que o "Programa Integral" relatou pra ela que só pode adotar uma língua estrangeira na grade curricular. Antes de terminar o primeiro semestre pedi remoção, pois havia passado no concurso para professor de espanhol da prefeitura de Caruaru e queria arrumar minha vida profissional já no ano passado. Sabe que a gestora me falou? Falou que se ela não quisesse assinar o documento de remoção, eu não teria remoção... desisti de pedir remoção porque o Prefeito de Caruaru lançou uma nota no site da prefeitura que só iria nomear os professores agora no primeiro semestre deste ano. Como não abriu remoção o ano passado, soube que vai abrir agora em fevereiro, pedi novamente minha remoção já que estou sem minhas 200h/a de espanhol este ano por a escola agora ser totalmente semi-integral. A gestora queria que eu fizesse seleção para professor de português para escola de referência, porém eu disse a ela que eu não me identifico como professor de português, pego português só pra complementar a carga horária apesar de que eu tenha formação em Letras Português/Espanhol. Minha especialização é em língua espanhola e eu fiz concurso em 2006 para professor de espanhol, por isso que eu não me inscrevi para seleção para professor de escola de referência este ano, até porque não vejo mais segurança neste "Programa Integral", pois tem dois pesos e duas medidas. Fiz seleção para contrato de dois anos para professor de espanhol da Escola Técnica Estadual do Cabo de Sto. Agostinho, passei em primeiro lugar, fui até a escola para saber qual era o dia que iria começar a trabalhar o gestor me disse que os professores iriam receber um telegrama antes do dia 01/02/2011. Hoje já é 11 e nada de telegrama chegar, fui à SEDUC quarta-feira, 09, pelo que me informaram, nem sequer estaria pronto este telegrama, ou seja, não teriam redigido. O que devo fazer diante desta situação, como devo proceder? Por favor, ajudem-me! "Estoy casi loco"

    Prof. Alcir Lins

    ResponderExcluir
  16. Alcir, perdoe-me mas, fiquei meio perdida e sem entender direito teu caso.
    Você pediu remoção e disse que desistiu.
    Você fez o pedido por escrito e está aguardando deferimento é isso? E agora você não quer mais?
    Se você pediu remoção e está aguardando deferimento, enquanto não sai a remoção você fica na escola de origem. Se não tem aulas pra vc. a escola tem que se virar para arranjar a tua vida. Se não fez o pedido, continua na escola.
    Quanto a convocação para o Cabo é aguardar mesmo a convocação, soube que vários professores aprovados para as Escolas Integrais por conta da desorganização da SEE ainda não foram chamados.
    Não sei se ajudei, mas, faz o seguinte entra em contato por e-mail então 'conversamos' melhor tá certo? Abraço forte, e tudo de bom pra voce, apesar da ´perspectiva de ida pra escola integral. (malbenia@gmail.com)
    Ah! diretor(a) não pode se recusar a assinar remoção. Quem tem que querer é você. Onde já se viu isso? É uma desconhecedora das leis. Peça que leia o Estatuto do mMgistério.

    ResponderExcluir
  17. Oi!SOU PROFESSORA EFETIVA NO ESTDADO DE SP COM CARGA DE 20 AULAS SEMANAIS, MAS MEU PAI ESTÁ COM SERIOS PROBLEMAS DE SAUDE E PRECISA DE MIM. ENTAO FALEI COM MINHA DIRETORA QUE EU QUERIA REDUZIR MINHA CARGA HORARIA PARA 10 AULAS SEMANAIS E ELA DISSE QUE NAO POSSO, QUE MUDOU A LEI,QUE TEREI DE DEIXAR TODAS(EXONERAR)QUE DEVO FAZER?

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. albênia disse...
    Desconheço essa LEI. Aqui(PE),solicitamos a redução(ou acréscimos)em formulário e cabe ao diretor apenas assinar, daí, encaminhamos a secretaria de educação.Diretor não decide o que queremos, é um direito do servidor.
    Veja o Estatatuto do Magistério do seu Estado, mas acredito que, tal informação não tem procedência.
    Um abraço e boa sorte!

    ResponderExcluir
  20. Pessoal,

    O que acontecerá com os profesores de Inglês posto que essa disciplina está sendo praticamente retirada da grade curricular do estado? Vejo que nosso amigo Paulo Vasconcelos tem o mesmo problema, ou seja, só tem aulas de inglês no fundamental II e agora o Estado tem apenas espanhol (salvo poucas escolas)na grade do ensino médio,não as duas disciplinas tal nas escolas particulares e como o Estado tende a ficar com com a responsabilidade direta de garantir o ensino médio, fico em dúvidas.
    Ainda, como fica a vida daqueles que esperam convocação para a referida disciplina, haja vista haver um forte movimento de convocação dos remanescentes do último concurso?

    Professores de inglês, não está na hora de nos reunirmos e buscarmos informações, ou vamos esperar nossa categoria ser exterminada por essa idéia insana? Será que o Estado não está na contramão da educação ou "eles" acham que estão oferecendo uma grade mais significativa do que as entidades privadas?

    A LDB não normatizava a oferta de duas disciplinas estrangeiras ou tal atitude é mais uma arbitrariedade do Governo?

    Um abraço, força sempre.

    ResponderExcluir