sábado, 2 de julho de 2011

Marcha para Jesus ou para matar?

Carlos Tomaz - Coordenador de formação da RENAF

A Marcha para Jesus nasceu em Londres, no ano de 1987, fundada pelo pastor Roger Forster, após a primeira outras tantas já aconteceram e vem acontecendo, inclusive aqui no Brasil, como foi o caso da 19ª ocorrida em São Paulo que atraiu aproximadamente 1 milhão de pessoas de vários credos cristãos. Dentre os objetivos da Marcha está o de trazer as igrejas para a rua, porém a de São Paulo não teve só esse objetivo, pois entre outros estava o de pregar o ódio aos homossexuais, a crítica à decisão do STF do direito à união estável entre pessoas do mesmo sexo e o veto ao PL 122. Tudo isso promovido pelos lideres evangélicos, ou melhor, pseudoevangélicos como Bispo Crivella, Pastor Malafaia e certamente com o aval do deputado Bolsonaro. De acordo com meus cálculos se cada 1 pessoa da Marcha para Jesus incitada pelo discurso desses senhores resolvesse aderir à fala deles, teríamos 1 homossexual morto à pauladas, “lampadadas”, facadas ou tiros, resultando, assim , aproximadamente 1 milhão de homossexuais mortos. Tudo isso pelo simples fato do ódio pregado “em nome de Jesus”, justamente em nome do homem que foi crucificado e morto por ser oposição à opressão, às injustiças, às discriminações e à falta de amor ao próximo. Uma contradição desses líderes à própria ideologia da doutrina do Cristo verdadeiro. O Brasil vive atualmente uma efervescência do Cristianismo com força maior no Protestantismo, isso tem atraído muita gente para as religiões evangélicas, o que deveria ser “uma bênção” (expressão usada pelos cristãos para se referir a coisas boas), mas que do meu ponto de vista não tem sido, isso porque as pregações e os discursos usados por alguns “servos do Senhor”, estão carregados de ódio, machismos, racismos, intolerâncias e homofobia; colocando em risco a paz e o amor tão pregados pelo nosso senhor Jesus Cristo, desse modo estão abandonando o verdadeiro Cristianismo que versa sobre o amor incondicional (ver episódio de Madalena e o apedrejamento assim como o do espinho da carne de Paulo), sobre o amor altruísta, sobre a caridade, e em oposição a isso reforçam violência. Na Marcha para Jesus em São Paulo os líderes religiosos Malafaia e Crivella incitavam com seus discursos o povo à violência aos homossexuais, e quando se trata de povo, deve-se ter cuidado como se faz oposição a qualquer assunto, pois as conseqüências podem ser danosas. O Cristianismo aqui no Brasil precisa ser repensado, re-avaliado, pois se isso não ocorrer, em pouco tempo seremos testemunhas de chacinas a homossexuais, a usuários de maconha, a povos de religião de matrizes africana e indígena e a toda pessoa que não comungue do mesmo pensamento pseudo-cristão, e tudo isso ocorrerá “em nome de Deus”, o que é um grande equivoco, pois o verdadeiro Cristo Jesus não é e nunca foi racista, homofóbico, machista e intolerante. Muita paz, muito axé.

Prof. Carlos Tomaz
Coordenação de formação da REDE AFRO LGBT

20 comentários:

  1. Lembrei-me de um texto de Rubem Alves

    “O Bom Samaritano” ou “O Bom Travesti”

    E perguntaram a Jesus: “Quem é o meu próximo?” E ele lhes contou a seguinte parábola:
    Voltava para sua casa, de madrugada, caminhando por uma rua escura, um garçom que trabalhara até tarde num restaurante. Ia cansado e triste. A vida de garçom é muito dura. Trabalha-se muito e ganha-se pouco. Naquela mesma rua dois assaltantes estavam de tocaia, à espera de uma vítima. Vendo o homem assim tão indefeso saltaram sobre ele com armas na mão e disseram: “Vá passando a carteira”. O garçom não resistiu. Deu-lhes a carteira. Mas o dinheiro era pouco e por isso, por ter tão pouco dinheiro na carteira, os assaltantes o espancaram brutalmente, deixando-o desacordado no chão. Às primeiras horas da manhã passava por aquela mesma rua um padre no seu carro, a caminho da igreja onde celebraria a missa. Vendo aquele homem caído, ele se compadeceu, parou o carro, foi até ele e o consolou com palavras religiosas: “Meu irmão, é assim mesmo. Esse mundo é um vale de lágrimas. Mas console-se: Jesus Cristo sofreu mais que você”. Ditas estas palavras ele o benzeu com o sinal da cruz e fez-lhe um gesto sacerdotal de absolvição de pecados: “eu te absolvo....” Levantou-se então, voltou para o carro e guiou para a missa, feliz por ter consolado aquele homem com as palavras da religião.
    Passados alguns minutos, passava por aquela mesma rua um pastor evangélico, a caminho da sua igreja, onde iria dirigir uma reunião de oração matutina. Vendo o homem caído, que nesse momento se mexia e gemia, parou o seu carro, desceu, foi até ele e lhe perguntou, baixinho: “Você já tem Cristo no seu coração? Isso que lhe aconteceu foi enviado por Deus! Tudo o que acontece é pela vontade de Deus! Você não vai à igreja. Pois, por meio dessa provação, Deus o está chamando ao arrependimento Sem Cristo no coração sua alma irá para o inferno. Arrependa-se dos seus pecados. Aceite Cristo como seu salvador e seus problemas serão resolvidos!” O homem gemeu mais uma vez e o pastor interpretou o seu gemido como a aceitação de Cristo no coração. Disse, então, “aleluia!” e voltou para o carro feliz por Deus lhe ter permitido salvar mais uma alma.
    Uma hora depois passava por aquela rua um líder espírita que, vendo o homem caído, aproximou-se dele e lhe disse: “Isso que lhe aconteceu não aconteceu por acidente. Nada acontece por acidente. A vida humana é regida pela lei do Karma: As dívidas que se contraem numa encarnação têm de ser pagas na outra. Você está pagando por algo que você fez numa encarnação passada. Pode ser mesmo que você tenha feito a alguém aquilo que os ladrões lhe fizeram. Mas agora sua dívida está paga. Seja, portanto, agradecido aos ladrões: eles lhe fizeram um bem. Seu espírito está agora livre dessa dívida e você poderá continuar a evoluir”. Colocou suas mãos na cabeça do ferido, deu-lhe um passe, levantou-se, voltou para o carro maravilhado da justiça da lei do Karma. O sol já ia alto quando por ali passou um travesti, cabelo louro, brincos nas orelhas, pulseiras nos braços, boca pintada de batom. Vendo o homem caído, parou sua motocicleta, foi até ele e sem dizer uma única palavra, tomou-o nos seus braços, colocou-o na motocicleta e o levou para o pronto socorro de um hospital, entregando-o aos cuidados médicos. E enquanto os médicos e enfermeiras estavam distraídos, tirou do seu próprio bolso todo o dinheiro que tinha e o colocou no bolso do homem ferido. Terminada a estória, Jesus se voltou para seus ouvintes. Eles o olhavam com ódio. Jesus os olhou com amor e lhes perguntou: “Quem foi o próximo do homem ferido?“


    Rubem Alves

    ResponderExcluir
  2. Rubem Alves é maravilhoso e sempre consegue nos surpreender com suas lições!
    É importante destacar que a postura radical parece ser provocada pelos líderes religiosos citados e não de forma generalizada pelos evangélicos.
    Abç!

    ResponderExcluir
  3. Sim, caro companheiro Geovani Gonçalves, é por isso que meu texto não generaliza, mas faz excessões, vc pode perceber que eu não estou afirmando que os cristãos protestantes são todos homofóbicos, mas apenas alguns, inclusive vc vi perceber essa afirmação nas expressões PSEUDOEVANGÉLICOS E PSEUDOS-CRISTÃOS que uso no texto exatamente para que os verdadeiros cristãos entandam o que digo e não pensem que coloco todos os cristãos no mesmo saco dos homofóbicos. Inclusive conheço muitos e muitas cristãos e cristãs que não são homofóbicos e que vivem sua fé compreendendo as diversidades de credo e culturas.

    abços fraternos de paz e axé,

    Carlos Tomaz

    ResponderExcluir
  4. Prof° Carlos - seu texto foi espetacular, também não concordo com o discurso raivoso e carregado de ódio que Malafaia e outros de sua estirpe pregam contra os homossexuais e contra as religiões de matrizes africanas. Esse pessoal parece que esqueceu do que a intolerância religiosa foi capaz de fazer ao longo da História - exemplos: cruzadas, inquisição, anti-semitismo, etc. O problema é que o número de evangélicos fanáticos cresce a cada dia e só Deus sabe do que essa gente alienada é capaz. Na minha cidade (Paulista-PE) por exemplo várias imagens ligadas ao Catolicismo foram destruídas, alvo de vândalos fanáticos.

    Em relação ao movimento gay - mais precisamente da "marcha gay" apenas uma coisa eu achei inadimíssivel: eles usaram a imagem de santos católicos para incentivar o uso de preservativos. A meu ver, aquilo saiu como um desrespeito ou mesmo uma afronta à Igreja, que também tem seus pecados, mas é bem mais tolerante com os homossexuais do que a maioria dos evangélicos. Pra mim, a lição é: quem quer respeito, precisa aprender a respeitar também. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Boa noite!
    Carlos,
    meu interesse é apenas reforçar a ideia já presente em seu texto.
    A temática, colocada de forma pertinente por você, precisa ser discutida, inclusive entre aqueles que fazem a escola, pois ainda há muita gente que deixa o preconceito falar mais alto nas ações cotidianas.
    Se precisasse resumir em uma frase as falas contidas nos textos postados aqui (por você e por José Ricardo), eu diria que "Precisamos respeitar (e fazer respeitar) as diferenças".
    Paz e axé!

    ResponderExcluir
  6. Prof. Jose Ricardo,
    Sou alem de prof. da rede estadual coordenador regional da REDE AFRO LGBT e também concordo com tua colocação. Para mim é preciso também que os movimentos LGBT não deem respostas a alguns cristãos intolerantes e homofóbicos com a mesma moeda (desrespeitando as imagens católicas) eu particularmente busco respeitar pois é nosso papel, mas nos movimentos LGBTs também tem os radicais e penso que a gente perde com isso, pois corre-se o risco de perder os cristãos aliados à causa publica e politica dos LGBTs.

    Prof. Geovani,
    valeu pela intervenção. é verdade o respeito às diferenças deve passar por todos e por tudo.
    abços fraternos de paz e axé.

    Carlos Tomaz

    ResponderExcluir
  7. Sou evangélico, não concordo com a discriminação, com o preconceito nem tampouco com a violência contra qualquer tipo de credo, raça e opção sexual, afinal temos livre arbitrio dado pelo próprio Deus, como por exemplo obedecê-lo ou não é uma escolha nossa, sabendo que somos responsavéis pelas nossas decisões.
    Sou contra sim o PL 122, pois familia é composta por homem e mulher, não por homem com homem, ou mulher com mulher, e em relação a violência contra os homossexuais já existe lei para isso, não só para eles, mas, para toda e qualquer tipo de violência contra qualquer cidadão.
    Agora o que eles tanto buscam como o respeito e não sabem respeitar como no último movimento quando não respeitaram as imagens dos santos católicos, cadê o respeito deles?
    Respeito a opção sexual de qualquer cidadão, embora não concorde com alguma, mas esse é um direito meu repseitar embora não concorde, e com o PL 122 não poderei mais expor minha posição pois eles estarão acima das leis, poderemos ser contrários a posição de um juiz, desembargador, Presidente, Governador, Prefeito contra qualquer cidadão menos a um homossexual, pois se não será homofobia.
    Perdoe a comparação mas é necessário: Homem e mulher tendo relação em via pública e forem flagrados e denunciados, atentado ao pudor; Homem com Homem ou Mulher com Mulher em via pública e forem flagrados e denunciados é homofobia.
    Tenha santa paciência, Deus ama o pecado e foi por eles também que JESUS CRISTO derramou seu Sangue, mas ELE aborrece o pecado (ato).
    Com o PL 122 aprovado haja cadeias e presidios para comportarem os cristãos verdadeiros, pois estes não serão a favor dessa decisão, pois somos a favor dos principios bíblicos e da família.

    ResponderExcluir
  8. Caro irmão Emerson,
    Acredito ser muito frágil teu argumento sobre quem violenta quem na nossa sociedade. 1º Desde quando vc ou outra pessoa presenciou um casal hetero aos beijos e abraços serem punidos? Por favor me perdoe, mas isso jamais acontece. Agora se vc estiver antenado e acompanhando as inúmeras violências aos gays, vc se aperceberá de que esse povo tem sido violentado pelo simples fato de caminhar em via pública de mãos dadas, imagina se eles resolvem demonstrar um ato de afeto e carinho publicamente, aí, caro irmão é porrada mesmo, é paulada mesmo, o povo bate mesmo sem dó nem piedade, isso é fato mais que comprovado tanto pelos movimentos de DH LGBT como pela própria mídia. E tem mais caro irmão, as inúmeras violências causadas às minorias, muitas delas tem embasamento mal interpretado bíblico. Isso é um fato, não é viagem não. Vc conhece a KU KLUX KLAN, pesquisa e vê quem são seu líderes e em que se baseiam para violentar e matar pessoas negras, se baseiam na Bíblia, é duro dizer isso aqui, mas é verdade. E Hitler em que ele se baseou para matar ciganos, judeus, negros e homossexuais? pesquisa e terás uma triste descoberta, Hitler baseou-se na Bíblia para fazer aquela desgraça que ele fez. Quero deixar aqui explícito que não sou anti-cristão, mas como pesquisador, educador e cidadão de conhecimento científico, não posso deixar de fazer crítica ao desvio que a religião cristã está tomando do seu princípio primeiro que é o de AMAR A DEUS E AO PRÓXIMO. Mas então quem é esse próximo? E mais como é que pessoas como os citados no meu artigo afirmam que amam os gays, porém lhes nega direitos constitucionais e mais incitam ódio em suas pregações em nome de Deus e Jesus aos diferentes? que loucura é essa? Caro irmão, as pessoas ignorantes são capazes de bater em um filho homossexual adolescente com a crença de que bate para o bem dele, entende? e isso está baseado em ideias cristãs. Foi assim também com nossos irmãos ancestrais negros escravizados, toda a desgraça que fizeram aos meus irmãos no passado que reflete no presente foi para o "bem" deles. Leia Chiavenato "O Negro no Brasil" e vc vai descobrir um monte de coisas, o raciocínio para as reflexões da homofobia, do machismo e da intolerância religiosa perpassa pela lógica cristã de mundo. Claro equivocada. pos o verdadeiro cristão não é contra projeto algum que garanta direitos constitucionais a negros, homossexuais, mulheres indígenas, povos em situação de rua, ciganos, judeus e toda sorte de historico e culturalmente excluídos. Muita paz pra vc, muito axé.

    ResponderExcluir
  9. Salve Maria,

    Como vão queridos filhos de Deus altissimo, primeiro queria dizer que sou sim preconceituoso, pois condeno a prática homossexual.
    Onde ela não devia existir.
    E essa questão de sermos homofobicos deveriamos vê outras coisinhas.
    Primeiro como eu sou Católico Apostolico Romano.
    Temos sim um amor por todos os filhos de Deus. Mas também por ser Católico não posso aceitar o pecado do homossexualismo, aborto, eutanásia entre outros como certo.
    Repudio a violência que não deve acontecer de maneira nenhuma. E também repudio a pl 122 que quer tornar o homossexual um ser superior.
    Esse texto de Rubem Alves é mais uma afronta ao que esta escrito na Bíblia verdade imutável.
    E sim Jesus é misericordioso quando perdoou Maria Madalena, mais disse "vá e não peque mais"
    então nosso Deus é infinitamente misericordioso mais também é infinitamente puro e não tem nenhuma macula de pecado e ele abomina o pecado.
    Eu estou de braços abertos para que uma pessoas que vive o homossexualismo querer encontrar o caminho de Deus da verdade, pois a verdade é uma só e não milhares. Jesus disse "Eu sou o caminho a verdade e a vida" e como Deus criou Adão e Eva crescei e multiplicai-vos.
    Deus e vida, é criação e não o que o homossexualismo trás, ou seja, a extinção da raça humana.
    Exemplo coloquemos vários casais homossexuais e criamos um país e deixemos eles lá você imagina até quando esse país vai durar? Não passa de uma geração.
    Deixo essas passagens Biblicas:
    Cabe aqui lembar a censura do Profeta Sofonias àqueles que “dizem consigo mesmos: O Senhor não faz bem nem mal.” (1:12). Para eles é a advertência do Profeta Isaías: “Ai daqueles que ao mal chamam bem, e ao bem, mal, que mudam as trevas em luz e a luz em trevas.” (Is. 5:20)

    Eis aonde leva o orgulho luciferino da ideologia homossexual: transforma a luz em trevas e as trevas em luz, e quer impor essas trevas ao mundo inteiro. Por meio da ditadura das leis e do terror da propaganda.
    A grande maioria dos brasileiros é católica, e a imensa maioria é cristã.
    Uma muito pequena minoria de homossexuais, cujo barulho é amplificado pela mídia, recebe o apoio de autoridades para impor sua maneira de agir profundamente contrária à natureza e à moral religiosa da gigantesca maioria cristã.

    Esta imposição é feita ditatorialmente ao arrepio da consciência dos brasileiros lançando-os na terrível alternativa:

    Obedecer a Deus Criador, a quem temos o dever supremo de obedecer e que tem todo o direito de ser obedecido, ou, por pressões e ameaças, desobedecê-Lo e, pelo contrário, obedecer à lei feita por pessoas que se consideram com poder para impor preceitos contra a Lei de Deus, portanto se colocam acima dEle!

    É este o grande dilema que nos está sendo imposto presentemente.
    O cristianismo e até a lei natural nos impedem de aceitar esse pecado, embora tenhamos garantida pela Constituição a liberdade de praticar a religião.

    Impondo-nos a aceitação da prática homossexual como coisa normal, estamos sendo agredidos no mais fundo de nosso ser.
    Isso é perseguição religiosa!

    Não podemos concordar com isso, pois
    NINGUÉM PODE SER MAIS DO QUE DEUS!

    Que o Deus verdadeiro tenha misericordia de você.

    ResponderExcluir
  10. Agora virou moda colocar a culpa em nós evangélicos: Vejam bem caros colegas; Somos quase 30% da população e ainda somos tratados como cidadãos de segunda. Aliás nem preconceito pode denominado pois é como não existíssemos. Até os anos 80 éramos tratados como excêntricos, fanáticos, ignorantes,alienados, ralé, e povinho e outros termos depreciativos. Porém caros entendidos da educação, sempre fomos um povo trabalhador. Enquanto muitos de vocês e de vossos pais ficavam discutindo no sábado a noite como fazer revolução do proletariado. Só de boca, pois mal aguentavam uma greve de Moura Cavalcante, Maciel, Arraes e outras figurinhas de plantão. Neste período pregávamos o evangelho a todos sem disntinção. Salvamos espiritualmente milhares de pessoas das drogas, prostituição, violencia. Também fizemos do trabalho honesto, fosse o que fosse, uma forma de ser atingir a dignidade. Nestes anos, vendendo coxinha, pastel, bolo de bacia, água mineral de dia e de noite, sábados e feriados os "irmãos", "os abençoados" "os bodes", "os nova seita" os besta-feras", "os crentes" fizeram uma revolução silenciosa . Ascenderam socialmente, criaram um estilo de vida colocaram os seus filhos na faculdade. Tudo isso sem o apoio ou políticas de estado. Hoje somos comerciantes, militares, médicos, professores, políticos, sem precisar de leis ou cotas de acesso. Em nossas fileiras eclesiásticas a cor da pele ou a posição social não é determinante para a liderança. Hoje temos bons seminários , escolas, universidades, editoras, sem apelar que o governo nos criassem leis de apoio. Além disso somos pacifistas. Os que matam e agridem não estão dentro de nossas fileiras. São imbecis classe média em sua maioria, e filhos de pais “cabeça aberta”. Os nossos filhos são treinados para servir ao Deus verdadeiro e serem bons trabalhadores.
    quando vocês educadores, falam em diversidade, respeito as diferenças, esquecem as piadinhas que costumam fazer quase diariamente aos “irmãos” que convivem com vocês. Continuam nos achando esquisitos,excêntricos, loucos, alienados, bichos do mato. Se pudessem muitos de vocês nos restringiriam com leis e perseguições como fizeram os vossos pais no passado. A PLC 122 é um caso bem claro. Com esta lei seríamos penalizados até por liberdade de consciência, algo inédito em qualquer parte do mundo!
    O texto acima mostra este ódio latente. Se o governo “desse asa” a certos intelectuais teríamos uma noite de São Bartolomeu no Brasil. Sofremos preconceitos todos os dias. Todavia lutamos exigindo os nossos direitos e continuamos pacifistas. Não esqueçamos que leis especiais não vão proteger ninguém de violência. A Lei Maria da Penha não diminuiu o índice de violência no Brasil. O que acaba com a violência é a punição eficaz e rápida. SE o nosso sistema funcionasse não haveria tanta impunidade. Se há ódio a certas minorias não é nossa culpa. Colocar culpa em nós, RENHA SANTA PACIENCIA!

    ResponderExcluir
  11. Ainda bem que sou ateu convicto e praticante. Não me prendo a interpretações religiosas sobre absolutamente nada.

    ResponderExcluir
  12. Se queremos ser um país democrático, é necessário respeitar a pluralidade de ideias e de comportamentos, deve-se respeitar a liberdade de pensamento, opinião, expressão, etc., deve-se respeitar as minorias de todos os tipos, assim como as religiões de todos os tipos.
    Perseguir gays ou religiosos só leva a mais ódio, mais confronto, menos democracia e menos qualidade de vida. Os gays estão certos em lutar pelos seus direitos e ter suas opiniões e pensamentos respeitados, assim como os religiosos estão certos em ter sua opinião contrária, o que não significa que sejam homofóbicos...o errado era tentar punir quem tem opinião diferente, pois ter uma opinião diferente não significa ser homofóbico...homofobia é outra coisa, muito mais grave, pois é crime.

    ResponderExcluir
  13. Não sou ligado a nenhuma igreja mas defendo o direito dessas instituições e de seus membros defenderem seu ponto de vista. Nenhuma conduta humana pode ser considerada incriticável, o que é bem diferente de agredir aqueles com quem não concordo. O que a os LGBTS querem é a proibição de crítica o que é um absurdo completo. Não sou homofóbico mas quero o direito de não concordar e vou ensinar, independente de lei ou não, o meu ponto de vista aos meus filhos.

    ResponderExcluir
  14. Vejam só essa:

    "O Grupo Gay da Bahia (GGB),divulga o Relatório Anual de Assassinato de Homossexuais de 2010. Foram documentados 261 assassinatos de gays, travestis e lésbicas no Brasil no ano passado, 63 a mais que em 2009 (198 mortes), um aumento 115% nos últimos cinco anos (122 em 2007). Dentre osmortos, 140 gays (54%), 111 travestis (42%) e 10 lésbicas (4%). "

    Observem bem: para classificar que esses 261 assassinatos por ano como homofóbicos teríamos que comprovar que foram todos cometidos apenas pelo fato da vítima ser homossexual. Nada disso é informado. Então nessas estatísticas entram homicídios por envolvimento em tráfico de drogas, crime passional, briga de rua, vingança pessoal, etc. É honesta essa informação passada pelo grupo Gay da Bahia? Ondem estão os boletins de ocorrência para comprovarem isso? Tirem suas conclusões.
    Os LGBTS (só a sigla já é ridícula) falam em "genocídio" homossexual. No Brasil, morrem por ano entre 40 e 50 mil pessoas por homicídio (consultem estatísticas no google). Não sou muito bom de matemática (ensino geografia e filosofia) mas acredito que esses tão alardeados 261 homicídios (levando em consideração que todos foram por homofobia o que duvido)representam uma parcela insignificante no número de assassinatos anuais no Brasil. O que esses defensores da causa gay querem com essas mentiras?

    ResponderExcluir
  15. E a ditadura Gay que eles querem colocar no Brasil, impor sua vontade que fazer sexo anal e bom e que eles podem usar isso para influenciar nossoa filhos e filhas, como esta sendo mostrado nas novelas. Entre outros programas.
    Engraçado quando morre um pai de familia não diz nada sobre isso.
    Que Deus tenha piedade dessa raça de miseraveis

    ResponderExcluir
  16. O Futuro da humanidade está á ponto de ir a falência, já imaginou se todo mundo fosse gay? Ninguém nunca mais ia ter filhos e a raça humana estaria acabada. Homem com homem e mulher com mulher não da em nada,nem a genética ajuda essas pessoas, nunca serão homens ou mulheres de verdade, vão sempre viver tentando ser quem não são e ainda por cima nunca vão conseguir se reproduzir.
    Porque a minoria quer ter tantos direitos passando por cima dos demais? E ainda falam que a sociedade que é preconceituosa, quando o preconceito vem das propiás"vitimas", e querem obrigar as pessoas a aceitar as coisas erradas e sem nexo com tranquilidade como se fosse tudo normal. Estão tentando transformar pessoas normais em pessoas indecisas, estão acabando com o sentido da amizade e anulando a verdade da Bíblia Sagrada.

    ResponderExcluir
  17. Eita, que esse post tá rendendo! As discussões sobre educação - proposta deste blog - não andam rendendo tanto debate por aqui. Sinal de que o que é importante, de fato, não parece merecer reflexão.

    Deixem os gays serem gays, vivam suas vidas e pronto!

    Esse debate aqui já está beirando o ridículo!

    ResponderExcluir
  18. Para o senho Paulo Alexandre 19 posts são suficientes para esgotar esse debate. Além do mais, ele acredita que o post trata do direito de alguém poder ser ou não gay. Ninguém está discutindo a direito à opção sexual e sim o fato desse direito conceder privilégios a uma minoria. Estamos tratando da questão do "orgulho" gay, como se opção sexual fosse motivo de orgulho e não a decência, a honra, a honestidade, independente de qualquer coisa.Estamos discutindo o direito de criticar a postura de alguns que consideram-se incriticáveis. Estamos falando de um grupo que, a exemplo do meu post acima, utiliza-se das torpes mentiras para defender seu ponto de vista. Aqui estamos discutindo vários assuntos, sendo este apenas um deles. De forma nenhuma deixo de viver a minha vida por causa disso como afirma o senho Alexandre. Por fim, se alguém o estiver ameaçando sob o cano de uma arma a ter que ler estes posts favor denunciar o mais rápido possível as autoridades competentes. Não sendo este o caso então vá viver a sua vida o senhor e pronto.

    ResponderExcluir