sexta-feira, 17 de julho de 2009

Chantagem

Governo anuncia que grevistas da Educação só recebem bônus em agosto e se voltarem ao trabalho


O Bônus de Desempenho Educacional (BDE), criado pelo Governo do Estado para beneficiar os servidores das escolas que melhorarem seus indicadores educacionais, será pago no dia 29, junto ao salário de julho.

No entanto, os servidores das unidades de ensino que aderiram à greve vão precisar voltar ao trabalho até o dia 22 deste mês e atestar o retorno às atividades em termo de compromisso.

Quem voltar ao trabalho receberá o BDE no dia 05 de agosto - data definida pela Secretaria de Administração para o pagamento do salário de julho dos grevistas. Hoje, em todo o Estado existem 19 escolas totalmente paralisadas e 193 em funcionamento parcial, do total de 1.105 unidades. Dos 40 mil profissionais localizados nas escolas, 3.493 tiveram seus pontos cortados por terem aderido ao movimento.

Ao todo, 18.570 servidores de 477 escolas vão receber o BDE. Desses, 16.372 são professores.

Segundo a secretaria de Educação, 1.513 profissionais não receberão o bônus no dia 29 por estarem na relação dos grevistas. A Lei Estadual 13.486/08, que regulamenta o BDE, permite que o Estado efetue o pagamento da premiação até o final do quadrimestre seguinte ao da publicação dos resultados. Como o anúncio foi feito no final de maio, o Governo teria até o final do ano para pagar o benefício, mas resolveu antecipar.

Das 1.105 escolas estaduais, 923 unidades foram avaliadas e concorreram ao bônus. O valor do prêmio tem como base o salário de início de carreira do servidor e será pago proporcional ao desempenho conquistado pela unidade de ensino em relação ao cumprimento de sua meta. Recebem o BDE, todos os trabalhadores da Educação das escolas que alcançaram a partir de 50% da meta. Das 477 unidades, cujos servidores vão receber o incentivo, 233 alcançaram 100% da meta e o BDE será pago integral.

As outras 244, cumpriram um intervalo percentual de 50% a 99% da sua meta. Os valores do benefício vão de R$ 246,00 a R$ 2.300,00, podendo um mesmo professor receber dois bônus, caso tenha dois vínculos e trabalhe em duas escolas que tiverem conquistado a meta. Foram reservados R$ 28,8 milhões para o pagamento do Bônus de Desempenho Educacional.

A Secretaria de Educação destaca que apesar do bônus não ter atingido todos os servidores, os números foram muito positivos, já que das 923 escolas avaliadas, 782 conseguiram apresentar algum acréscimo nos seus índices educacionais. Apenas 141 escolas não apresentaram melhora alguma.

As metas são individuais e foram pactuadas entre gestão escolar e secretaria de Educação, ano passado. O ponto de partida foi a nota da unidade no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) 2005.

3 comentários:

  1. Professora Juliana17 de julho de 2009 18:54

    NO-JO!É a única coisa que tenho a dizer a respeito dessa forma como o governo do estado de Pernambuco vem tratando os servidores da educação, subestimando a inteligência dos professores.Mais uma vez ele vai passar de bomzinho para população dizendo que teria até o final do ano para pagar este maldito bônus e que resolveu antecipar, enquanto quem está dentro sabe que a expectativa era para se receber em janeiro, passou para fevereiro, março...Depois a própria SEDUC alardiou às quatro mídias que iria ser pago em junho e agora usam desse recurso para enfraquecer a greve.Enfim, o governo de Eduardo Campos está mostrando todo o lado do nosso Pernambuco IMORAL!IMORAL!

    ResponderExcluir
  2. Se o bônus é referente ao desempenho do ano passado, esta retaliação tem ainda mais cara de chantagem mesquinha! Não dá para esperar mais nada do governo!

    ResponderExcluir
  3. Indecentemente, o governo classifica escolas em zero e 100 por cento, agora atrela o pagamento dessa "política de compensação", a retomada das atividades em período de greve.
    Juliana, concordando contigo: é nojo mesmo.
    Paulo Alexandre, desse carrasco é esperar só o pior.

    ResponderExcluir