terça-feira, 28 de julho de 2009

Pernambuco: bom de FUNDEB, péssimo de salário!

Fizemos um levantamento sobre os repasses do FUNDEB para Pernambuco e organizamos um ranking para comparar a situação de cada estado. Não foi surpresa perceber que Pernambuco não está em uma má posição nesta lista, afinal nosso estado é o 7º colocado. O que o governo precisa fazer, antes de inundar a mídia de informações que iludem a opinião pública, é justificar este mistério: como um estado que está entre os maiores destinatários de verbas para educação consegue pagar o pior salário de professor do Brasil?

[ranking-fundeb-2009-1.jpg]

Fonte: Secretaria do Tesouro Nacional

4 comentários:

  1. Sobre o ranking de salários pagos aos professores nos estados brasileiros, algumas correções devem ser consideradas sem que, no entanto, o pe ascenda no ranking. De qualquer forma que se considerar, o pe continuará pagando o pior salário do Brasil ao professor. Para efeito de comparação, a Paraíba paga o mencionado no ranking para uma carga horária de 20h/a semanais, o que corresponde à metade da carga horária do professor pernambucano. Querem saber mais? Vejam só o texto divulgado no site da secretaria de educação pernambucana:

    Sai resultado preliminar de sete GREs

    Assessoria de Comunicação

    A secretaria de Educação está divulgando o resultado preliminar da seleção simplificada para contratação de profissionais temporários que vão substituir os professores grevistas. No momento estão sendo divulgados os resultados das Gerências Regionais de Educação de Arcoverde, Caruaru, Sertão do Alto Pajeú, Sertão do Médio São Francisco, Litoral Sul, Mata Norte e Vale do Capibaribe. Os candidatos terão esta terça-feira (28) para entrarem com recursos. O resultado final será divulgado nesta quinta-feira (30), no Diário Oficial e neste site.

    Ao todo serão contratados mais de 2 mil profissionais. Segundo a secretaria de Educação a seleção supre totalmente a necessidade das escolas que estão funcionando parcialmente devido à ausência dos professores grevistas.

    Os contratos terão a duração de 60 dias prorrogáveis por igual período. A jornada de trabalho será de 150 com remuneração de R$ 618,0 ou 200 horas, com valor de R$ 824,00.

    ResponderExcluir
  2. Os professores que assumissem esta contratação deveriam ter seus diplomas cassados.

    ResponderExcluir
  3. Professora Juliana28 de julho de 2009 22:37

    A ILEGALIDADE está exatamente neste quadro do FUNDEB e não na greve!E o sindicato deveria levar essa distorção (verba do FUNDEB 2009 x Pior salário do Brasil) aos principais meios de comunicação.Anônimo, eu não acho que os professores substitutos devam pagar por isso.Acho que quem deve responder por essas contratações é o próprio governo do estado, visto que ele descumpre na cara dura a CF no que se diz respeito a tudo com relação à greve.Estou no aguardo da posição do MPPE.
    Abraço,

    Juliana

    ResponderExcluir
  4. Esse tipo de notícia sobre as verbas federais repassadas À Pernambuco merece um grande destaque nas mídias televisivas, bem como impressas.

    Se não denunciarmos isso o governo vai se passar por vítima dos grevistas. Este Forest Gamp de Pernambuco precisa pensar antes de fazer certas coisas como agredir a um sindicato do porte do SINTEPE.

    Nossa luta não se encerra com o retorno ao trabalho, ao contrário deve ficar mais acirrada pois do contrário estaremos perdidos. Quem aposta que outubro vai trazer boas notícias está redondamente enganado. Diante do visto até o momento um futuro sombrio nos espera: sem ganhos, sem reconhecimentos, sem valorizações, e pior sem respeito mesmo.

    Devemos, pois, reverter este quadro à nosso favor. Devemos fazer guerra de trincheira e não deixar margens para nos atacarem facilmente. E para isso devemos estar mais unidos do que nunca. Devemos pensar que mais de vinte mil associados deve equivaler a mais de vinte mil soldados prontos para a batalha, a começar em nosso local de trabalho. Não devemos calar nunca diante do que há de errado e muito errado mesmo. Com muita luta conseguiremos um futuro melhor para a educação e os educadores em nosso Estado.

    ResponderExcluir