terça-feira, 7 de julho de 2009

Propaganda enganosa sobre a educação em Pernambuco.

Matéria publicada no jornal Diário de Pernambuco, do dia 07 de julho de 2009 no caderno Vida Urbana.

Além do piso, 14º e notebooks



A greve deflagrada ontem chega em um momento em que as melhorias na Educação são notáveis em Pernambuco. A área, inclusive, foi apontada como a mais bem avaliada do governo em dois anos e meio de gestão. A folha de pagamento da categoria foi ampliada em 65% desde 2007. Um professor com carga horária de 200 horas-aula por mês, que recebia uma remuneração média de R$ 1.200 em dezembro de 2006, saltou para cerca de R$ 2.000 este ano. Ontem, durante a mobilização da categoria, não foi difícil encontrar profissionais que reconhecessem a evolução da rede estadual. Inclusive, foi a primeira vez em que os mestres receberam 14º salário pago no contracheque de junho às escolas que alcançaram metas de desempenho. O investimento foi da ordem de R$ 28,8 milhões.

"Sou a favor da greve, mas a situação de trabalho hoje é melhor que a de anos atrás", afirmou a professora polivalente da Escola Estadual Afrânio Godoy, localizada na Imbiribeira, Lenita da Silva. Além dos ganhos salariais, os professores também foram beneficiados com uma política de valorização que permitiu a aquisição de notebooks, através do programa Professor Conectado. A professora de matemática Maria do Carmo Pimentel, da Escola Estadual Alfredo Freire, no bairro de Água Fria, faz parte do grupo de 26 mil docentes beneficiados. "O computador portátil traz melhor qualidade às nossas aulas", avaliou outra docente Cláudia de Almeida, da Escola Joaquim Mendes da Silva.

Através de nota oficial, o governo classificou a paralisação como "estranha". "Fomos o primeiro estado do país a pagar o benefício do piso que representou um aumento na remuneração dos professores em início de carreira com nível superior de 68% e de 30,6% para os docentes de nível superior", justificou o secretário de Educação do estado, Danilo Cabral.

Benefícios para a categoria:

NÚMEROS DA EDUCAÇÃO DESDE 2007

R$ 28,8 milhões serão destinados para o Bônus de Desempenho Educacional

3631 professores foram nomeados nos últimos dois anos

50 mil capacitações para professores foram realizadas

3 mil vagas de especialização e extensão foram ofertadas

R$ 58 milhões foram investidos na merenda escolar

R$ 6 milhões foram investidos na recuperação e reequipagem da Etepam

R$ 15 milhões foram destinados à garantia de material escolar e fardamento

R$ 29 milhões destinados à construção de seis escolas técnicas no interior

68% de aumento na remuneração dos professores em início de carreira e ensino médio

30,6% de aumento no pagamento dos docentes de nível superior

GANHOS DOS PROFESSORES

- Implantação do programa Professor Conectado, que distribuiu notebooks para os docentes da rede estadual

- Recebimento de bônus para a compra de livros

- Assinatura diária de jornais locais

- Bônus por desempenho educacional que, em alguns contracheques, chegaram ao valor de um 14º salário

Fonte: Secretaria de Educação do Estado (SEE).


* Matéria publicada no jornal Diário de Pernambuco, dia 07 de julho, no caderno Vida Urbana.

10 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Nojo é o que essa matéria causa. Nojo.

    ResponderExcluir
  3. Professora Juliana7 de julho de 2009 20:40

    Nada me espanta.Já sabemos como funciona o esquema aqui em Pernambuco (mídia toda comprada).Os jornais locais não têm autonomia jornalística, aliás nunca tiveram e não seria agora que iriam ter, pois estão todos comendo na mão do governo eduardino stalino de campos.
    IMPRENSA PERNAMBUCANA:"Da lama aos caos, do caos à lama", cada vez mais.

    ResponderExcluir
  4. A média salarial é de R$ 2.000,00? Onde arranjaram esse valor?

    ResponderExcluir
  5. Essa é a prática deste Governo, propagar mentiras e enganar a população.Mas, o pior disso e a participação de "educadores" que se prestam a ser "garotos propaganda" desta enganação.

    ResponderExcluir
  6. Pessoal tem um cidadão chamado Wagner que tem metido o pau nos professores no seguinte blog: belojardimnet.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Estranho, o fato do colega Paulo Vasconcelos, fazer uso da matéria em sua totalidade sem comentar nada. Mais parece usar o espaço do blog para divulgar as propagandas governamentais.

    Aqui buscamos deixar o espaço para discussão, todavia quem posta tem uma responsabilidade em manter seu compromisso com a categoria e não com o governo. Portanto no futuro seria mais proveitoso notificar o que sai nas manchetes colocando as devidas complementações.

    Não basta copiar tem de comentar. Senão a coisa fica sem função clara, a meu ver.

    ResponderExcluir
  8. Professor jean disse ...
    Ninguém faz greve por fazer, por brincadeira ou por vagabundagem. Essa materia é mais uma farça de como é tratado a questao da educaçao no estado de Pernambuco. O governo tem tentado fazer uma propaganda inganosa para a sociedade sobre a valorizaçao dos professores e colocam como ponto mais alto das suas açoes. Trabalho em uma escola onde 90% dos professores que receberam os notboock nao sabem o que fazer com eles, alguns nao sabiam nem para que servia essa maravilhosa maquina. Será que as mentes brilhantes da secretaria da educaçao ainda nao compreenderam que a saída para a melhoria da educaçao do estado nao passa ainda por essa questao? A escola onde eu trabalho mais parece com uma feira do Paraguai do que um ambiente escolar, pois seus professores estao tentando ganhar a grana do passe de onibus para voltarem para casa e para ajudar a pagar as despesas do mes. E o estado vem falar em notboock, tenha santa paciencia...
    Professor precisa é de vida digna, é de poder pagar suas contas, é de poder andar de cabeça erguida e orgulhoso da profissao que escolheu. Receber um dos piores salarios do Brasil é algo vergonhoso. A consequencia de tudo isso é que Pernambuco vem sendo campeao das piores colocaçoes em testes nacionais de avaliaçao do ensino.Houve um tempo - e a atual geração de jovens brasileiros jamais pôde testemunhar isso - em que a profissão (para muitos missão) dos professores do ensino público fundamental era merecedora do maior respeito, dos governos e da sociedade. Era uma função que atraía, dava orgulho a quem a exercia, propiciava pelo menos uma remuneração digna e, acima de tudo, granjeava um notório reconhecimento social. Certamente esse prestígio profissional decorria do entendimento tácito - da sociedade - da importância do trabalho de formação das futuras gerações do País. Desgraçadamente, em algum momento de nossa história política e administrativa contemporânea, no campo do ensino público fundamental e médio, a formação educacional de nossas crianças passou a ser relegada a posições bem abaixo do segundo plano por nossos governantes. Por isso caros colegas vamos a luta e vamos mostrar a sociedae a verdadeira farça que é esse governo de mentirosos e enganadores..

    ResponderExcluir
  9. Professores, essas mensagens teriam que estar enchendo as caixas de mensagem do Diario de Pernambuco! Vamos reagir, vamos fazer algo, vamos cobrar isso do nosso sindicato nas assembleias. Nao podemos deixar uma atitude como essa passar sem ser desmentida!

    ResponderExcluir
  10. Tenho mandado vários e-mails para a seção carta do DP (cronômetros, piso, centros experimentais...) e até agora nehuma foi publicada. Mas, continuaremos usando o blog ,divulagando entre os amigos e cobrando do sindicato da categoria medidas em defesa da classe.
    Forte abraço à todos os companheiros(as).

    ResponderExcluir